enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Coritiba deixa escapar vitória nos descontos

  • Por Gisele Rech
Roberto Brum jogou ?em casa?
e se deu bem contra André Bahia,
mas sofreu o empate no finzinho.

O Coritiba empatou ontem em 1 a 1 com o Flamengo, no Maracanã, na estréia das equipes no campeonato brasileiro de 2003. O resultado de igualdade, mesmo que nos domínios do adversário, entretanto, teve sabor de derrota para o campeão paranaense pelas circunstâncias do jogo. O Coritiba abriu o marcador aos 29 minutos do segundo tempo, mas foi castigado com o empate já nos descontos.

O placar magro expressou exatamente o que foi o jogo, marcado por muitos erros de passes e pouca objetividade na conclusão das jogadas. Pressionado por sua torcida, que não vê uma vitória há 44 dias, o rubro-negro carioca tomou as ações do jogo desde o início. Mas a deficiência técnica flamenguista somada à forte marcação alviverde, que entrou em campo com uma formação precavida, deixaram o jogo morno. As melhores chances do Flamengo vinham em jogadas de bola parada, com Fábio Baiano, e na parte do Coritiba, os melhores contra-ataques vinham pelo setor direito, pelos pés de Tesser, substituto do contundido Ceará.

No entanto, o equilíbrio de ações só veio quando a torcida flamenguista, impaciente com os erros grosseiros de seu time, engrossou as vaias no Maracanã. Abalados, os flamenguistas começaram a dar mais espaços e o Alviverde se aproveitou. “Conseguimos equilibrar, mas ainda temos que apertar mais para conseguir o gol”, orientou o atacante Edu Sales.

Castigo

Mas foi o Flamengo que voltou pressionando, especialmente após a entrada de Jean no lugar do inoperante Fernando Baiano. Não fosse a falha escandalosa de Zé Carlos aos 13 minutos – ele deixou Roberto Brum e Reginaldo Nascimento para trás, mas chutou torto – o Coritiba teria sucumbido.

Com Edu Sales sentindo-se cansado, em estado febril, Bonamigo se viu forçado a dar passagem a Lima e se deu bem. Tão logo entrou em campo, o lépido atacante coxa-branca forçou Júlio César a operar um milagre, aos 22 minutos. Mas foi aos 29 que a sorte virou para o Coritiba, quando Marco Britto também já estava em campo. O ex-atacante do Fluminense experimentou da entrada da área, a bola resvalou em Fabinho e sobrou para Lima, que abriu o marcador.

O gol foi um balde de água fria no Flamengo, que passou a andar em campo. Animado, o Coritiba partiu para cima do adversário e perdeu uma chance incrível de ampliar com Lima, que aos 44 minutos deu um chapéu em André Bahia, mas finalizou com deficiência. Quando tudo apontava para a vitória alviverde, o rubro-negro “ressuscitou”. Aos 46 minutos, Felipe Melo cobrou falta frontal e André Bahia subiu sozinho, para empatar o jogo no apagar das luzes. “Foi um castigo e em cima de mim”, lamentou o meia Tcheco, que estava na marcação de Bahia.

O próximo compromisso do Coritiba é no sábado, contra o Internacional, no Couto Pereira. Já o Flamengo enfrenta o Bahia, domingo, na Fonte Nova, em Salvador.

Jackson e Marlon na agenda

A disputa do brasileiro já começou, mas a diretoria coxa-branca continua trabalhando no reforço do elenco. Ontem, o secretário do Conselho Administrativo do Coritiba, Domingos Moro, confirmou o acerto com Souza, atacante que brilhou no estadual com a camisa da Roma, e Gilmar, volante do Iraty, que foi trocado pelo atacante coxa-branca Fernando Mello.

Pelas pistas dadas pela diretoria, o meia Jackson, ex-Palmeiras e atualmente no Ituano, se apresenta na quinta-feira e há grandes chances de a diretoria também apresentar no meio de semana o atacante Marlon, que fez sucesso ao lado de Rico na Portuguesa Santista, semifinalista do campeonato paulista. “Ainda não está certo, mas trata-se de um jogador para ficar na suplência do Edu Sales, que está sem um reserva imediato”, explicou Moro.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas