Foto: Valquir Aureliano

Recuperado, o capitão Ânderson Lima volta hoje ao time.

Agressividade. Essa é a arma que o Coritiba quer usar para conseguir um bom resultado, hoje, contra o Botafogo pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil.

O Alviverde quer ?fazer a lição de casa? para ir ao Rio de Janeiro com uma boa vantagem na bagagem. Para tanto, Henrique Dias estréia no ataque e Ânderson Lima está de volta à defesa.

O confronto contra os cariocas é às 20h30, no Couto Pereira.

?A nossa equipe é agressiva. Independente de onde joga, sempre procura a vitória. É um time difícil de se segurar para jogar de outra maneira, até por ter muitos jovens?, avisa o técnico Guilherme Macuglia. E esta forma de jogar do Coritiba tem uma razão de ser.

Ao contrário das outras fases, o Alviverde faz a primeira partida em casa. ?A gente entrou numa fase decisiva, não só na Copa do Brasil como no Paranaense, então temos que estar ligados, bem-concentrados nos nossos objetivos. Como vamos decidir no Rio, temos que procurar fazer o resultado aqui para termos a vantagem lá?, diz o meia, Pedro Ken.

Para Macuglia, mesmo com os problemas médicos e o afastamento do meia Marlos, a equipe tem correspondido. ?A nossa equipe vem numa crescente, apesar de todos os desfalques. O grupo tem dado uma resposta positiva e não só aqueles 11 considerados titulares?, comemora o treinador. Mesmo assim, ele elogia o Botafogo e alerta para os perigos da equipe alvinegra, mesmo sem a presença de Zé Roberto. ?Eles têm jogado às vezes com o Zé Roberto, às vezes com o Lúcio Flávio, às vezes com três volantes e o Zé Roberto de atacante, então o Cuca tem alternado bastante?, analisa.

No Coritiba, a alternância também acontece e o time muda de novo. Recuperado de uma contratura na coxa esquerda, Ânderson Lima retorna à lateral-direita.

No ataque, a novidade será o recém-contratado Henrique Dias. Mal foi apresentado e o ex-paranista já ganhoua condição de titular com Macuglia. Assim, China e Eanes voltam ao banco de reservas.

Na suplência, aliás, quem reaparece é Café, que desistiu de se transferir para o Bahia e vai permanecer no clube.

Já o goleiro Artur ganha o apoio da comissão técnica e da diretoria e segue como titular, apesar das críticas de parte da torcida.

Botafogo vai jogar com força total

Agência Estado

Rio – O Botafogo não vai poupar nenhum dos titulares para enfrentar o Coritiba. O técnico Cuca decidiu escalar a força máxima da equipe, sem se preocupar com uma eventual contusão ou desgaste físico dos atletas para a decisão do título da Taça Rio, domingo, contra a Cabofriense.

?A Copa do Brasil é o caminho mais curto para se chegar à Copa Libertadores da América. É um momento de decisão para o Botafogo e muitos gostariam de estar vivendo essa nossa fase?, explicou Cuca.

Ele, no entanto, não vai poder contar com o meia Zé Roberto, com dores musculares. O jogador ficou no Rio, fazendo tratamento a fim de se recuperar para a partida do fim de semana, pelo campeonato carioca.

Cuca optou por Leandro Guerreiro para suprir a ausência de Zé Roberto. Dessa forma, o Botafogo vai levar a campo três volantes: o próprio Leandro Guerreiro, além de Diguinho e Túlio.

O treinador disse estar convicto de que seus atletas, mesmo no Estádio Couto Pereira, vão pensar apenas no confronto com o Coritiba, embora a decisão da Taça Rio esteja em evidência.

A delegação do Botafogo retorna ao Rio na sexta-feira pela manhã e segue direto para o centro de treinamento João Saldanha, em General Severiano, onde o time ficará concentrado. Os jogadores só vão poder voltar para casa na noite de domingo, após a decisão com a Cabofriense.

COPA DO BRASIL
Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Couto Pereira
Horário: 20h30
Árbitro: Elvécio Zequetto (MS)
Assistentes: Adnílson da Costa Pinheiro (MS) e Alécio Aparecido Lezzo (MS)
Ingressos: Arquibancada, R$ 15,00; cadeira da Mauá e setor visitante, R$ 20,00 e social superior, R$ 100,00. Estudantes, idosos, crianças e mulheres pagam meia.

Coritiba x Botafogo

Coritiba
Artur; Ânderson Lima, Henrique, Douglão e Douglas Silva, Adriano, Juninho, Túlio e Pedro Ken; Henrique Dias e Keirrison. Técnico: Guilherme Macuglia

Botafogo
Júlio César; Joílson, Juninho, Alex e Luciano Almeida; Leandro Guerreiro, Túlio, Zé Roberto (Diguinho) e Lúcio Flávio; Jorge Henrique e Dodô. Técnico: Cuca

Coxa pode trazer Édson Bastos pro gol

Édson Bastos no Coritiba? A diretoria coxa desmente, mas o presidente do Guaratinguetá diz que foi contatado e conversou sobre o assunto. Mesmo assim, a possível vinda do arqueiro, destaque do Paulistão, só acontecerá após o final do Paranense. ?Fomos procurados e estamos conversando, mas só quero entrar em detalhes assim que terminarmos a competição. Por isso, prefiro não me pronunciar agora?, disse Carlito Arini, presidente da equipe paulista.

Já o coordenador de futebol do Alviverde, João Carlos Vialle, nega a contratação. ?Não tem nada. Se conversaram, não foi comigo e quem contrata sou eu. Temos propostas de outros 15 goleiros de nível nacional e internacional?, justificou. No entanto, ele deixou em aberto a possibilidade de um novo goleiro para a Série B. ?Converse comigo em maio sobre isso. Pode ser que precise, pode ser que não?, apontou.

Marlos

Enquanto isso, Vialle voltou a se reunir com o procurador do meia, Serginho Cabeção, mas não houve acerto. Segundo o dirigente alviverde, não houve uma redução da proposta do representante de Marlos e a situação se manteve a mesma. Ou seja, o jogador continua treinando no CT da Graciosa, mas não será usado nos jogos oficiais.

Gionédis apresenta planos do clube e torcida pede a sua saída

O Coritiba reuniu ontem oito deputados estaduais na churrascaria anexa ao Couto Pereira para apresentar o projeto do clube em construtir um novo estádio.

O presidente do Alviverde, Giovani Gionédis, agradeceu o apoio dos parlamentares à idéia do clube de se modernizar, independente da cidade ser ou não uma sede da Copa do Mundo de 2014.

O dirigente, no entanto, não revelou aos representantes da Assembléia Legislativa presentes como seria a parceria com a iniciativa privada tampouco mostrou algum esboço do projeto arquitetônico da Arena Coxa.

?O clube vai ter o estádio mais moderno do Paraná, que atende às exigências da Copa do Mundo e que dá conforto ao torcedor. Mas, principalmente, que dê ao Coritiba uma solidez financeira. Afinal, não existe futebol sem dinheiro?, discursou Gionédis.

O deputado Jocelito Canto, autor da proposição de que Curitiba seja uma sede da Copa, concordou com o dirigente. ?Gionédis merece a nossa atenção, afinal o Coritiba é um time de grande tradição do futebol brasileiro?, disse o parlamentar.

Além dele, estiveram presentes Stephanes Jr., Antônio Anibelli, Rosane Ferreira, Édson Strapasson, Artagão Jr., Francisco Bührer e Bete Pavin. Nos próximos dias, segundo promessa de Gionédis, o Coxa irá apresentar quem será o parceiro internacional para a construção do estádio bem como o projeto arquitetônico, aguardado com ansiedade pela torcida coritibana. Em princípio, a arena seria erguida onde hoje está o Pinheirão, caso os imbróglios que envolvem o local sejam resolvidos.

Protesto

Enquanto isso, setores da oposição no Alviverde partem para o ataque. Com o lema ?Diga não ao Pinheirão e fora Gionédis?, a confraria Movimento Unido Coritibano e mais alguns conselheiros lançam mais um abaixo- assinado para tentar a saída do presidente Giovani Gionédis. ?Nós não queremos pagar por omissão. Não estamos sendo oporunistas e apenas estamos alertando, o time é fraco, a diretoria não trouxe nenhum jogador de apelo popular e ninguém sabe o que pode acontecer se o time perder para Paranavaí e Botafogo?, justificou Édson Fink, um dos líderes do movimento. As assinaturas começam a ser colhidas às 14h30 de segunda-feira, na Boca Maldita.