Porto Feliz – A partida de hoje, às 18 horas em Marília, pelo Campeonato Paulista, ficou em terceiro plano para o Corinthians. O assunto principal na concentração em Porto Feliz foi Tevez. Logo em seguida, em grau de importância, a viagem ontem às pressas do presidente da MSI, Kia Joorachian, para Roma. Ele foi fechar a compra de Vágner Love. Deve pagar US$ 12 milhões pela transação.

O argentino de US$ 22 milhões sofreu uma infecção em um corte na canela direita – graças às várias pancadas que levou nos treinamentos – e está internado para observação no hospital São Luís Morumbi, em São Paulo. A expectativa é que tenha alta na segunda-feira, mas não há certeza.

Tevez tem grande parcela de culpa porque não gosta de usar caneleiras e os pontapés dos zagueiros vão direto na sua perna.

Sua estréia contra o América, no próximo sábado no Morumbi, está ameaçada. É possível que coloque a camisa corintiana pela primeira vez na quarta-feira de Cinzas, dia 9 de fevereiro, contra o Rio Branco.

"Provavelmente ele sofreu um corte na canela que infeccionou por causa das pancadas nos treinamentos, que estão muito fortes. A perna toda amanheceu muito inchada. Ficaremos dando antibióticos e observando a reação do seu organismo no hospital. A sua estréia contra o América no sábado está em dúvida. Vamos torcer para que seja liberado na segunda-feira", diz o médico Paulo Faria.

A infecção de Tevez mexe com todo o plano de festa armado pela MSI.

Desde o aluguel do estádio do São Paulo até o show pirotécnico que aconteceria sem a grande estrela, tudo se perde.

A assessoria de imprensa da empresa informou que não permitirá que o atleta dê entrevistas no hospital. E, ainda, que se sua estréia for mesmo adiada – já que os antibióticos devem lhe debilitar fisicamente -, a partida contra o Rio Branco na quarta-Feira de Cinzas é a saída.

Ainda mais que o São Paulo irá enfrentar o São Caetano no ABC e poderá alugar novamente o seu estádio, recebendo uma porcentagem de 25% da arrecadação líquida do jogo.

Kia Joorabchian recebeu o aviso do empresário Giuliano Bertolucci que as negociações com a diretoria do CSKA estão terminadas e a contratação do atacante praticamente sacramentada. Kia teve de ir para Roma tratar pessoalmente da forma de pagamento e ver se consegue baixar o preço de US$ 12 milhões. Mesmo se não baixar, o empresário garante que irá contratar Love até por uma questão de marketing. Ele sabe que trazer de volta em seis meses o principal jogador do arquiinimigo Palmeiras não tem preço.