A diretoria corintiana confirmou oficialmente nesta quinta-feira que fará uma “doação humanitária” para a família de Kevin Beltrán Espada, garoto boliviano que morreu aos 14 anos após ser atingido por um sinalizador dentro do estádio em Oruro, na Bolívia, durante o jogo entre Corinthians e San José, no dia 20 de fevereiro, pela Libertadores. O valor destinado pelo clube será de US$ 50 mil (cerca de R$ 110 mil).

Depois da morte do garoto, ocorrida durante o jogo, 12 torcedores do Corinthians foram presos ainda no estádio em Oruro, sob a acusação de participação ou cumplicidade no homicídio. Desse grupo, sete ficaram detidos por 106 dias, mas foram libertados no começo de junho e já voltaram para o Brasil. Os outros cinco corintianos seguem no presídio boliviano, aguardando uma decisão da justiça da Bolívia sobre o caso.

Apesar de se eximir de qualquer culpa na morte do torcedor do San José, a diretoria corintiana logo se manifestou sobre a possibilidade de fazer uma doação para a família de Kevin. Mas o acordo só foi fechado agora, no valor de US$ 50 mil. Enquanto isso, chegou a acontecer um amistoso entre as seleções de Brasil e Bolívia, no dia 6 de abril, em Santa Cruz de la Sierra, com parte da renda revertida aos familiares do garoto.