O Corinthians mostrou toda sua experiência, soube se beneficiar da vantagem obtida no primeiro jogo e conquistou seu 27.º título do Campeonato Paulista neste domingo. O empate por 1 a 1 diante do Santos, na Vila Belmiro, foi suficiente para o time do Parque São Jorge, que havia vencido por 2 a 1 na ida, final de semana passado, no Pacaembu. De quebra, os comandados do técnico Tite impediram que o rival fizesse história e conquistasse o inédito tetracampeonato paulista.

O título era o que faltava nesta vitoriosa passagem de Tite no Corinthians, já consagrada com os títulos do Campeonato Brasileiro, em 2011, da Libertadores e do Mundial de Clubes, no ano passado. Esta pode ter sido a última partida de um dos pilares desse time, Paulinho, que estaria de saída para a Europa.

O resultado mostrou também que o Corinthians se recuperou rápido da eliminação na Libertadores no meio de semana, diante do Boca Juniors. A equipe agora volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro, pelo qual estreia no sábado que vem, diante do Botafogo, no Pacaembu.

Por outro lado, o Santos teve o sonho do tetracampeonato – após os títulos de 2010, 2011 e 2012 – encerrado e agora se concentra no Brasileirão e na Copa do Brasil, em meio à incerteza sobre o futuro de Neymar, que estaria finalmente de saída para a Europa – Barcelona e Real Madrid querem o atacante. A equipe volta a campo já nesta quarta-feira, diante do Joinville, na Vila Belmiro, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil – venceu a ida, em Florianópolis, por 1 a 0.

O JOGO – A partida começou truncada, cheia de falta para ambos os lados. O Santos até teve um início melhor, explorando as jogadas pelo lado esquerdo, nas costas de Alessandro, mas aos poucos o Corinthians equilibrou o jogo e passou a atacar mais. Aos 17 minutos, Fábio Santos invadiu a área e, após toque de Renê Júnior, caiu pedindo pênalti, não marcado pelo árbitro.

O jogo seguia muito brigado e o primeiro lance de perigo aconteceu somente aos 18 minutos. Emerson recebeu na meia-lua e bateu rasteiro, rente à trave. Mas o Santos respondeu com muito perigo. Neymar deu lindo lançamento para Felipe Anderson, que dominou dentro da área e bateu de esquerda. A bola desviou em Fábio Santos e Cássio fez grande defesa.

Como tem acontecido nas últimas partidas, as jogadas de bola parada eram uma arma do Santos e foi assim que o time da casa abriu o placar. Felipe Anderson bateu falta da intermediária, pelo lado direito, Durval ajeitou de cabeça e Cícero virou batendo de primeira. Cássio ainda desviou, mas não impediu o gol.

Mal deu tempo para comemorar e o empate corintiano saiu dois minutos depois. Aos 28, Guerrero dividiu com Renê Júnior e a bola sobrou para Romarinho dentro da área. Depois de nova dividida, Paulinho bateu em cima de Rafael. O rebote ficou com Danilo, que tocou para o gol vazio e marcou.

Os gols pouco mudaram o panorama da partida. O Santos seguia buscando mais o gol, mas quando o Corinthians chegava no ataque levava mais perigo. Aos 40 minutos, Paulinho bateu falta de longe, Rafael desviou e a bola explodiu no travessão. Na sequência, Danilo limpou o lance e também acertou o travessão. Na sobra, Romarinho deu belo drible e, mesmo com pouco ângulo, resolveu bater ao invés de passar para Guerrero. Rafael impediu a virada.

O Santos voltou com tudo para o segundo tempo e criou uma boa oportunidade logo aos cinco minutos. Cícero arrancou no meio da zaga corintiana, passou por dois marcadores com categoria e deixou André sozinho, de frente para o gol. O atacante demorou para bater e, atrapalhado por Fábio Santos, chutou fraco, à esquerda.

A primeira chance do Corinthians saiu aos 11 minutos, quando Romarinho foi lançado e, de fora da área, encheu o pé em cima de Rafael. Aos 16, o mesmo Romarinho perdeu chance inacreditável. Edenílson, que havia acabado de entrar no lugar de Emerson, deu lançamento perfeito para o atacante, que invadiu a área sozinho, tocou fora do alcance de Rafael, mas acertou a trave.

O Corinthians não ganhava nenhuma jogada pelo alto e dessa forma o Santos quase chegou aos segundo. Edu Dracena se antecipou a Cássio, que saiu mal, e tocou para fora. Os mandantes se lançavam ao ataque em busca do gol salvador, enquanto o time corintiano aproveitava os contra-ataques para criar chances, mas errava perto do gol e perdia muitas oportunidades de matar o jogo.

O Santos tentava, mas parecia sem forças para reagir e pouco levava perigo ao gol de Cássio. Do outro lado, Alexandre Pato, que entrara no lugar de Romarinho, incomodava a defesa santista. Aos 40 minutos, Edenílson levantou a bola na cabeça do atacante, que cabeceou rente à trave. Já aos 47, Pato jogou para fora a última chance da partida.

 

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 1 X 1 CORINTHIANS

SANTOS – Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior (Pato Rodríguez), Arouca, Cícero e Felipe Anderson; Neymar e André (Miralles). Técnico: Muricy Ramalho.

CORINTHIANS – Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Romarinho (Alexandre Pato), Emerson (Edenílson) e Guerrero (Douglas). Técnico: Tite

GOLS – Cícero, aos 26, e Danilo, aos 28 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Guilherme Ceretta de Lima (SP).

CARTÕES AMARELOS – Renê Júnior (Santos); Fábio Santos, Edenílson, Cássio, Romarinho (Corinthians).

RENDA – R$ 867.256,62.

PÚBLICO – 14.740 pagantes.

LOCAL – Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP).