A Primeira Liga, também conhecida como Copa Sul-Minas-Rio vai acontecer já em 2016. A primeira rodada, inclusive, já está marcada para o dia 28 de janeiro, enquanto a final será no dia 30 de março. No total, serão 12 clubes participantes, divididos em três grupos de quatro equipes, com seis datas disputadas ao longo da competição, três na primeira fase, duas na semifinal e a decisão será em jogo único, ainda em local
indefinido.Tudo isto foi definido ontem, em reunião realizada em Curitiba.

“Os clubes se mostraram mais uma vez unidos em torno da proposta. Faltam alguns detalhes técnicos, mas estamos com pressa. Estou por conta. O torneio já está na rua e na boca do povo”, disse o presidente da Primeira Liga, Alexandre Kalil.

Os jogos serão disputados em datas alternadas aos estaduais do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. “Não haverá conflitos de datas. Há apenas um ajuste a ser feito no Gauchão, mas os representantes do Inter e do Grêmio garantem que não haverá problema algum”, contou Alceni Guerra, representante do Coritiba na reunião.

Estão confirmados para a primeira edição do torneio Atlético, Coritiba, Criciúma, Figueirense, Grêmio, Internacional, Atlético-MG, Cruzeiro, Flamengo e Fluminense. Outros dois serão definidos por critério técnico. “Hoje o ranking da CBF (usado como base) mostra que os dois serão América-MG e Avaí, mas até o final do ano pode mudar”, afirmou Guerra. Os clubes decidiram que um estado não pode ter quatro representantes.

Alexandre Kalil saiu direto de Curitiba para o Rio de Janeiro, aonde se reunirá hoje com representantes de uma das televisões interessadas. Na noite de ontem se reuniu com uma empresa que pretende comprar o Naming Rights do torneio. “São várias propostas de TVs abertas e fechadas, além de empresas. Vamos vender tudo”, garantiu Kalil.

Novo encontro

Um novo encontro vai acontecer na última semana de outubro na Toca da Raposa, do Cruzeiro. Neste período serão definidos detalhes técnicos sobre a competição, inclusive como será a arbitragem e quem julgará os casos disciplinares.

“A hipótese de uma parceria com a CBF não esta descartada. O Kalil vai se encontrar com o presidente (Marco Polo) Del Nero nesta sexta para tentar um entendimento. A Liga sai de qualquer jeito, mas é preferível que haja a parceria”, explicou Alceni Guerra.

Paraná Online no Facebook