Gustavo Kuerten não teve muito trabalho para derrotar Alexander Blom por 3 sets a 0 (6/1, 6/3 e 6/2), ontem, em Joinville (SC), e abrir 2 a 0 para o Brasil no confronto com as Antilhas Holandesas pela Copa Davis. Antes, na abertura da disputa, Ricardo Mello havia batido David Josepa com um triplo 6/0. Hoje, ao meio-dia, acontece a partida de duplas, que pode definir a vitória brasileira contra as Antilhas Holandesas. André Sá e Flávio Saretta enfrentam a parceria formada por Raoul Behr e Blom. Amanhã, invertem-se as partidas de simples realizadas ontem: Guga encara Josepa e Mello pega Blom. Em seu retorno à equipe brasileira pela Copa Davis, o catarinense Gustavo Kuerten obteve uma vitória tranqüila. O tricampeão de Roland Garros anotou 6/1, 6/3 e 6/2 sobre Alexander Blom, das Antilhas Holandesas, em confronto que vale vaga na final do Zonal Americano, terceira divisão do torneio.

Guga não atuava na Davis há quase dois anos. Sua última participação fora na disputa contra o Canadá, em setembro de 2003, quando os brasileiros sucumbiram diante dos donos da casa e foram rebaixados do Grupo Mundial.

Em 2004, o catarinense liderou um boicote contra a gestão da Confederação Brasileira de Tênis e se afastou da equipe. Como os principais jogadores do país seguiram seu exemplo, até juvenis chegaram a ser convocados para compor o time. A atitude dos atletas ajudou a derrubar Nelson Nastás da presidência da CBT, mas custou derrotas para Paraguai, Venezuela e Peru, além da conseqüente queda para a terceira divisão.

Essa foi apenas a oitava partida de Guga no ano. O ex-número 1 do mundo não jogava desde Roland Garros, há dois meses, quando caiu na estréia diante do espanhol Javier Sánchez. Agora, registra no retrospecto, em 2005, três vitórias e cinco derrotas, ao retornar após sete meses se recuperando da segunda cirurgia no quadril.

Jogo

Mesmo com a presença do conterrâneo Guga em quadra, a torcida catarinense não lotou o ginásio Cau Hansen, em Joinville. Vestindo bermuda verde e camisa amarela, o ídolo local não fez uma atuação empolgante, mas jogou o suficiente para obter a vitória sem dar sustos no público.

A partida começou tranqüila para o brasileiro, que saiu fazendo 4/0. Na seqüência, Blom, que sequer é ranqueado na ATP, conseguiu finalmente tirar o zero do placar das Antilhas Holandesas. Depois de confirmar o serviço, o caribenho se animou e chegou a ter dois breakpoints em seguida, mas desperdiçou e permitiu que Guga voltasse a tomar conta das trocas de bola e fechasse o set em 6/1.

Na segunda parcial, o antilhense começou a forçar golpes potentes com sua esquerda, o que causou dificuldades ao catarinense, que chegou a salvar um breakpoint quando empatava em 3/3. Na seqüência, contudo, Guga fez valer sua maior experiência e ganhou três games seguidos, fechando em 6/3.

O último set foi marcado por mais erros do que acertos. Blom continuou arriscando, mas com menor precisão que antes. O catarinense, por sua vez, também deixou cair o nível técnico da partida. Mesmo assim, no quinto game conseguiu uma quebra. Depois disso, impôs seu jogo e confirmou a vitória por 6/2.