SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Horas após um grupo de torcedores ser atropelado em Moscou, a polícia da capital russa divulga neste sábado (16) detalhes sobre o motorista e o ocorrido. De acordo com o interrogatório, o responsável alega ter perdido o controle do táxi que dirigia.

“Confundi os pedais. Quando pisei, achei que era o pedal do freio”, argumenta o motorista, que segundo TVs russas se chama Anaberk Chingiz. Nos vídeos divulgados nas redes sociais, o automóvel só ganha velocidade e atinge os pedestres depois de mudar de direção e sair do tráfego.

Segundo confirmado por autoridades russas, sete pessoas ficaram feridas -e não oito, como divulgado originalmente. A polícia trabalhava com a possibilidade de ele ter dirigido embriagado, hipótese que Chingiz nega. Não foram divulgados resultados de exames toxicológicos, e ele segue detido.

A Prefeitura de Moscou informa que o motorista trabalha para a empresa “Checkpoint”, que não tem credenciamento para trabalhar durante a Copa do Mundo, mas ressalta que este credenciamento não é obrigatório.

O atropelamento ocorreu na rua Ilyinka, que começa na Praça Vermelha, o principal ponto turístico de Moscou. Pessoas caminhavam na calçada, incluindo torcedores estrangeiros, quando um táxi avançou e as atropelou. O motorista foi agredido por um homem, conseguiu sair do táxi e sair correndo. Ele foi perseguido por pedestres a acabou detido pela polícia.

Mais cedo a embaixada do México confirmou que entre as vítimas estão dois mexicanos, que estavam em Moscou para a estreia da seleção na Copa do Mundo, contra a Alemanha, neste domingo (17). A agência de notícias TASS informa que dois russos e um ucraniano deram entrada em um hospital próximo ao local do acidente. Uma mulher estaria em situação de gravidade média.