SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Um dos principais jogadores da seleção peruana, Paolo Guerrero ficou de fora do time titular na derrota por 1 a 0 para a Dinamarca, neste sábado (16), pela primeira rodada da Copa do Mundo. Apesar da surpresa de muitos torcedores, o atacante disse respeitar a decisão do técnico Ricardo Gareca.

“São decisões do professor, eu respeito todas elas, estou aqui para ajudar. Se ele achar que devo começar jogando, ele pode contar comigo, estou preparado”, disse o jogador, que entrou campo aos 17 minutos do segundo tempo no lugar de Edison Flores.

Guerrero admitiu frustração com o resultado, mas destacou que a seleção ainda tem chances de se recuperar na competição.

“Foi muito frustrante, claro que foi. Foi muito azar, pelo que jogamos, pelo que criamos, estão claro que estamos frustrados. Mas não podemos baixar os braços. Ainda estamos vivos, foi o primeiro jogo”, acrescentou o maior artilheiro da seleção peruana.

A frustração citada por Guerrero se dá justamente pelas chances não aproveitadas pela equipe. No primeiro tempo, o meia Christian Cueva desperdiçou um pênalti, quando a partida ainda estava 0 a 0. Guerrero, no entanto, evitou responsabilizar o companheiro pelo resultado.

“Ele fez um grande jogo. Perder pênalti é uma coisa que pode acontecer com qualquer um. Ele tem todo o nosso apoio, todo o nosso respaldo”, finalizou.

O confronto diante da Dinamarca marcou o retorno do Peru em Copas após 36 anos de ausência. A última participação da equipe sul-americana havia sido no Mundial de 1982, na Espanha.

Além disso, o revés diante dos dinamarqueses foi o primeiro depois de uma sequência de 15 jogos de invencibilidade. O time comandado por Gareca não perdia desde novembro de 2016, quando havia sido superado por 2 a 0 pelo Brasil nas Eliminatórias.

O Peru volta a campo na próxima quinta-feira (21), contra a França. No mesmo dia, a Dinamarca enfrenta a Austrália.