SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Senegal estreia na Copa do Mundo nesta terça-feira (19), contra a Polônia, às 12h (de Brasília), no estádio Spartak, e o treinador da equipe africana, Aliou Cissé, lamentou o fato de ser o único técnico negro entre todas as 32 seleções que disputam o Mundial.

“Eu sou o único treinador negro neste torneio. É uma realidade dolorosa que me incomoda. Acredito que o futebol é universal e que a cor da pele tem pouca importância no jogo”, afirmou em entrevista coletiva nesta segunda-feira (18).

“Faço parte de uma nova geração de treinadores que está trabalhando em boas equipes e querendo se firmar no primeiro time de treinadores no futebol internacional”, acrescentou.

Cissé foi o capitão na última vez que Senegal disputou uma Copa, em 2002. Naquela ocasião, o time surpreendeu e chegou às quartas de final do torneio.

“Naturalmente, são feitas muitas comparações, mas aquele time já criou a parte dele na história. Nós temos bons jogadores e podemos criar a nossa história. O país mudou, e a mentalidade da equipe mudou. São realidades diferentes”, disse.

Senegal tem Sadio Mané como grande estrela e esperança de gols na Rússia. Porém, apesar do peso nas costas do atacante do Liverpool, o técnico não crê em dependência. “”Ele é um jogador único, mas temos um jogo coletivo”, falou.