Recentemente contratado pelo Ultimate Fighting Championship (UFC), o lutador paulista Wagner Prado, o Caldeirão, pretende adotar Curitiba como novo palco de treinos. Admirador do histórico do MMA (Artes Marciais Mistas) na cidade, o atleta, que é de Campinas, está iniciando um trabalho de aproximação com o público na capital paranaense. Na atualidade, Wagner reveza entre treinamentos no Rio de Janeiro e na academia curitibana Thai Brasil.

Essa vem sendo a rotina de Caldeirão, que chegou a ensaiar estreia no UFC diante do norte-americano Phill Davis, no início do mês. Porém, o adversário involuntariamente acabou acertando o rosto do brasileiro com o dedo e a luta foi interrompida. Outro combate contra o mesmo oponente deve ser marcado para 5 de outubro. ‘O que fica de frustração foi de ainda não ter conseguido mostrar meu potencial’, disse, durante sessão de autógrafos, uma das atividades com o público geral que participou na semana passada.

Junto do lutador paranaense Wagner Galeto, Caldeirão deu autógrafos e bateu fotos com cerca de cem fãs em um shopping center da cidade. ‘O calor da galera em Curitiba é muito bom’, resumiu o atleta, afirmando que anteriormente já havia realizado uma palestra em uma escola da capital paranaense, sobre o papel das artes marciais como forma de combater a violência. Dessa forma, o novo contratado do UFC vem recebendo os primeiros votos de confiança do público geral em Curitiba.

Durante as conversas, a luta interrompida contra Phill Davis foi um dos assuntos comentados pelos fãs. ‘Fiz questão de vir (até a sessão de autógrafos), pois assisti a luta do Caldeirão. Foi uma infelicidade’, comentou a analista de sistemas Geovana Conti, 34 anos. Geovana foi ao evento acompanhada do marido, o pastor e professor de Jiu-Jitsu Cleber Sá dos Santos, 36 anos, além de duas filhas ainda pequenas.

De acordo com o lutador, que nocauteou sete adversários nas oito vitórias de sua carreira, o fato de Curitiba ser um dos principais centros para a prática de Muay Thai influenciou na escolha. ‘Eu também sou do Muay Thai’, disse Caldeirão, que recebeu o apelido após participar do quadro de televisão Lata Velha, no programa do apresentador Luciano Huck. Ao se referir sobre a capital paranaense, Wagner Caldeirão enalteceu também o fato de grandes lutadores no cenário internacional, como Anderson Silva, Maurício Shogun Rua e Wanderlei Silva, terem sido projetados na cidade. ‘É um celeiro do MMA’, sentenciou.