A parceria entre Corinthians e MSI pode estar no fim. E, se depender da oposição do clube, acaba no máximo em 60 dias. Hoje, há a reunião do Conselho Deliberativo e o rompimento com os parceiros é o único assunto da pauta – Carlos Senger não quis incluir na votação o afastamento temporário do presidente Alberto Dualib. Alheia ao encontro, a direção do clube garantiu a permanência do técnico Paulo César Carpegiani.

A multa entre Corinthians e MSI para o rompimento do acordo de 10 anos – até dezembro de 2014 – é de US$ 25 milhões. Por isso, os opositores querem afastar Dualib e seus vices do comando. A oposição está formando comissão de notáveis advogados corintianos que analisariam a situação sem custos aos cofres do clube e ‘com olhares de isenção pois Corinthians e MSI não estão batendo em suas informações’.

Vão colocar as denúncias do Ministério Público contra os investidores da MSI para acusar a parceira de irregularidades. Ou seja: teriam subsídios para o rompimento do contrato sem a necessidade de pagamento da multa.