O Conselho de Educação Física do Rio Grande do Sul pediu à Justiça Federal que proíba o técnico do Internacional, Fernandão, de exercer o seu cargo no clube. A entidade argumenta que apenas profissionais registrados, com graduação em educação física, podem atuar como treinadores de clubes de futebol.

O conselho já havia autuado o Inter por contratar o ex-jogador para a função e afirma que nenhuma medida foi tomada desde então. Diz que, em fiscalização no clube, foi constatado um “leigo” exercendo atividades exclusivas do profissional de educação física.

Aposentado dos gramados há um ano, Fernandão, 34, estreou no cargo em julho, em substituição a Dorival Júnior. A entidade pediu uma liminar determinando a imediata saída do ex-jogador da função.

O Inter ainda não se manifestou sobre o assunto. O conselho afirma que é a primeira vez que o clube deixa de ter um profissional de educação física em seus quadros.

O time voltará a atuar no domingo, contra o Grêmio, no Beira-Rio.