Divulgação/CBF News
Salcedo, Yarza, Gagi, Batista e Byrom, da entidade máxima do futebol, analisam a maquete da Arena.

Representantes do governo do Estado do Paraná, Prefeitura de Curitiba e do Atlético Paranaense ficaram animados com a receptividade que a cidade teve por parte dos inspetores da Fifa para sediar jogos da Copa do Mundo de 2014, pleiteada pelo Brasil.

A apresentação de Curitiba aconteceu ontem pela manhã, no Hotel Windsor, no Rio de Janeiro. Às 10h30, o Secretário de Estado do Turismo, Celso Caron, abriu os trabalhos com a exibição de um vídeo, de aproximadamente três minutos, contendo informações gerais e dados estatísticos sobre o Estado.

A seguir, a diretora do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Suzana Andrade, mostrou outro vídeo, de cinco minutos, abordando toda a infra-estrutura da cidade, com destaque para o sistema de transporte coletivo, rede hoteleira, onde a cidade se compromete formalmente a disponibilizar 18 mil vagas, e de atendimento hospitalar, com 6 mil leitos.

Arena pronta

O diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, foi o terceiro integrante da comitiva a falar. Com o auxílio de uma grande maquete e mais um vídeo, de cinco minutos, Holzmann exibiu a Arena da Baixada concluída, com capacidade para 41 mil pessoas. Logo depois, o arquiteto Carlos Arcos fez o detalhamento técnico do projeto da Arena.

O diretor-técnico do Rubro-Negro, Antônio Carlos Gomes, também fez uso da palavra. Ele revelou os novos investimentos feitos pelo clube no Centro de Treinamento Alfredo Gotardi e colocou, inclusive, as instalações do CT Caju à disposição da Fifa.

O staff atleticano contou ainda com Mário Celso Keinert Petraglia, filho do presidente do Conselho Deliberativo e homem-forte do Furacão, Mario Celso Petraglia.

O vereador Mário Celso Cunha (PSDB), líder do governo na Câmara Municipal e representante do prefeito Beto Richa no evento de ontem, ficou satisfeito com o desempenho de Curitiba.

?Dos cinco membros da Fifa que estavam na sala, três elogiaram o nosso projeto para ser sede. Eles destacaram a nossa habilidade de mostrar a eles a infra-estrutura e tudo o que a Fifa exige de uma cidade.

E falaram que as cidades nordestinas se preocuparam muito em mostrar comida, folclore. Eles não querem folclore, eles querem uma boa estrutura?, afirmou Cunha.

?A apresentação mais específica foi a de Curitiba. Tanto é que, quando terminou, os inspetores ficaram na sala para saber detalhes do Atlético e só dois fizeram perguntas: sobre a localização da imprensa no estádio e para fotógrafos atrás dos gols?, emendou o vereador.

A comitiva da Fifa é formada por Hugo Salcedo, chefe Jaime Byrom, responsável por acomodações e transporte, Jorge Batista, imprensa; Walter Gaggi, segurança e estádios, e Jaimme Yarza, secretário-geral.

Legado

Segundo Mario Celso Cunha, o secretário-geral Yarza elogiou a proposta apresentada pela capital paranaense.

?O senhor Yarza comentou que o ponto positivo de Curitiba é que o projeto do Atlético tem tudo para ficar como um legado para a cidade, o Estado e o País?, disse Cunha.

?Nós fomos muito técnicos. Apresentamos um projeto que vai acontecer independentemente de Copa do Mundo ou não. E mostramos a infra-estrutura que a cidade oferece. Não precisa mais que isso?, completou Holzmann.

Além de Curitiba, Florianópolis, Cuiabá, Campo Grande e Goiânia também apresentaram ontem suas credenciais. Na última sexta-feira, foi a vez de Fortaleza, Recife/Olinda, Salvador, Maceió e Natal.

A primeira etapa do processo de escolha será encerrada hoje com Manaus, Rio Branco e Belém. A partir de amanhã, a comissão da Fifa visitará Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro, último local de inspeção.

Caso o Brasil seja confirmado no dia 30 de outubro como a sede do Mundial de 2014, as 12 cidades selecionadas para abrigar os jogos da competição serão anunciadas até 31 de outubro de 2008.