Após reunião do Comitê de Gestão nesta sexta-feira, a diretoria do Santos decidiu manter o técnico Marcelo Fernandes à frente do clube. O Comitê chegou a discutir a contratação de Oswaldo de Oliveira, ex-Palmeiras, mas acabou decidindo pela permanência do atual treinador do time santista.

“As coisas aqui são democráticas. Temos um profundo respeito pelo professor Oswaldo de Oliveira. Chegamos a discutir a vinda dele ao clube. E chegamos à decisão, tranquilamente e de forma unânime, de que este é o momento de se continuar com o Marcelo Fernandes, que tem todo o grupo com ele”, declarou o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, em entrevista ao Sportv.

A permanência de Fernandes à frente do time passou a ser questionada pela torcida nas últimas semanas, em razão da irregularidade do Santos no Brasileirão. Com o aumento da pressão, membros da diretoria cogitaram o retorno de Oswaldo de Oliveira, que comandou a equipe entre 2013 e 2014 e havia sido demitido do Palmeiras na terça-feira.

O clube chegou a iniciar negociação com o treinador, que teria aceitado se adequar às limitações financeiras atuais do clube. O acerto, porém, não foi concretizado por decisão do Comitê de Gestão em reunião realizada no fim da manhã desta sexta-feira.

“Não mudou nada. O Marcelo continua sendo o comandante da nossa equipe. Conversamos com ele ontem à noite e hoje pela manha. Perguntei ao Marcelo: ‘Você aceita ficar?’. Ele disse que sim e continua”, declarou Modesto Roma Júnior.

De acordo com o presidente, Marcelo Fernandes é o coordenador da comissão técnica fixa do Santos. “A questão é muito simples. O Marcelo é o nosso comandante e ele não está aqui provisoriamente ou de forma interina. Ele é efetivamente o homem que coordena a comissão técnica”, afirmou.

O presidente, contudo, não descartou totalmente uma possível mudança no comando do Santos futuramente. “Se eventualmente vier outra pessoa para a função de treinador, o Marcelo continua sendo o coordenador técnico do futebol do Santos”, explicou Modesto Roma.