Adepto do 4-4-2, o técnico Paulo Comelli será forçado a adotar um novo esquema para o jogo deste sábado, às 16h, na Arena Barueri. Ao que tudo indica, o Paraná Clube atuará com três zagueiros, na tentativa de parar o ataque do clube paulista, que luta para se manter no G4 e chegar à primeira divisão do futebol brasileiro. Com dois volantes lesionados e outro suspenso, a saída do treinador foi armar o time com Daniel Marques, Leandro e Fabrício no sistema defensivo.

“Ainda vou ver no coletivo, mas é uma possibilidade”, despistou Comelli, que escalou a nova zaga nos treinos de sexta e de ontem pela manhã. Não bastasse a ausência de Pituca suspenso pelo terceiro cartão amarelo o treinador também perdeu Rômulo e Agenor, vetados pelo departamento médico, com lesões musculares.

Os dois dificilmente se recuperarão para o jogo contra o Corinthians, na próxima semana. Com isso, o técnico optou por colocar Leandro no time, inicialmente como líbero, e armar o meio-de-campo com apenas um volante, no caso Vágner.

Uma estratégia que não deixará, na visão de Comelli,o Paraná vulnerável na meia-cancha. “O Kleber tem um ótimo sentido de marcação. Nesse ponto, estou tranqüilo”, comentou. A rejeição maior do treinador ao 3-5-2 se deve ao fato do time perder, na teoria, qualidade na saída de bola.

Algo que os zagueiros terão que compensar. “Acho que somente no coletivo o Paulo vai definir quem ficará na sobra, se eu ou o Daniel Marques”, comentou Leandro.

“Mas, estou pronto para realizar qualquer dessas funções. O importante é a gente entrar em campo ligados, para recuperar os pontos que perdemos em casa”, destacou.

Além desse sistema de jogo, Comelli anunciou ontem que irá testar uma outra opção. “Tenho a possibilidade de escalar mais um meia, com a saída de um dos zagueiros”, disse o treinador.

Nessa formação, a tendência é que Gláucio receba uma oportunidade, já que Naves, mesmo sendo volante de origem, vem treinando seguidamente como ala-direito. Com essa variação, Kleber teria que ficar posicionado mais atrás, formando com Vágner a dupla de proteção à zaga.

Comelli também deixou uma dúvida no ataque. Mais uma vez, Rodrigo Pimpão e Éder disputam uma vaga ao lado de Ricardinho. Ontem pela manhã, Pimpão começou o coletivo, mas depois deu lugar a Éder. Nas últimas jornadas os dois vem fazendo um revezamento constante.

“Vou analisar bem o adversário, para então decidir qual deles se adapta melhor à estratégia de jogo que iremos adotar lá em Barueri”, comentou Comelli, visivelmente preocupado com a seqüência de jogos do Tricolor, que encara duas das melhores equipes da competição, Barueri e Corinthians.