O técnico Paulo Comelli admitiu que a estratégia pro 2.º tempo fracassou. Em especial quando arriscou tudo na utilização de três atacantes, para baterem de frente com o trio de zagueiros do São Caetano.

“É difícil entender o que aconteceu, tínhamos três jogadores rápidos contra três marcadores lentos, mas não deu certo”, comentou Comelli, lamentando duas ou três chances desperdiçadas pelo time na etapa final. Em casa, o Tricolor não soube tirar vantagem de jogar com um a mais desde os 27 minutos do 1.º tempo.

Comelli justificou a saída de Fabinho frisando que dos jogadores de defesa, o ala-esquerdo não estava “inteiro”, pois no intervalo se queixou de dores na coxa. “Tínhamos três zagueiros encaixados nos atacantes deles, Tuta e Luan. Por isso, não havia necessidade de mais um marcador pela esquerda. A idéia era pressioná-los com três atacantes. Não deu”, disse o treinador, que vai seguir convivendo com pressão ao que tudo indica até a última rodada.

Nas suas contas, o Paraná tem três jogos para vencer dois. “Para não irmos para Santo André, na última rodada, no sufoco”, destacou. O treinador reconheceu que seu time não teve força no segundo tempo, numa repetição do que aconteceu contra o Brasiliense.