No confronto de dois dos piores ataques do Campeonato Brasileiro, o clássico entre São Paulo e Corinthians deste domingo acabou sendo definido pelos goleiros. Os rivais cumpriam bem o roteiro esperado e iam ficando no 0 a 0 quando, aos 44 minutos do segundo tempo, Rogério Ceni teve a bola do jogo em seus pés em cobrança de pênalti, mas parou em Cássio. No fim, as equipes ficaram mesmo no empate, no Morumbi, pela 28.ª rodada.

O São Paulo subiu uma posição com o resultado, chegando aos 34 pontos, em 15.º, dois pontos à frente do Criciúma, que abre a zona de rebaixamento. A três jogos sem perder – havia vencido Vitória e Cruzeiro -, o time do Morumbi volta a campo na quarta-feira, às 21 horas, diante do lanterna Náutico.

Já o Corinthians chegou ao 12.º empate por 0 a 0 no ano, sendo o oitavo no Brasileirão e o terceiro consecutivo. Na 11.ª posição, com 37 pontos, a equipe do Parque São Jorge precisa tomar cuidado para não se aproximar da zona da degola. Na próxima rodada, seu adversário será o Grêmio, quarta-feira, às 21h50, em Porto Alegre.

A partida deste domingo teve dois tempos bem distintos, sendo que o São Paulo dominou completamente o primeiro e poderia ter aberto o placar. No segundo, o Corinthians deixou um pouco a retranca, soube encaixar bons contra-ataques e viu Emerson perder duas grandes chances. No fim, Wilson Luiz Seneme marcou pênalti duvidoso de Diego Macedo em Reinaldo, Rogério bateu no canto direito, mas Cássio desviou.

O JOGO – O começo foi muito brigado, com entradas duras de ambos os lados. Quando os times esfriaram os ânimos e a bola rolou, o São Paulo partiu para cima, pressionou e teve a primeira grande chance. Após boa tabela pela esquerda, Maicon achou Jadson sozinho, próximo à meia-lua. O meia dominou e bateu firme, rasteiro, rente à trave direita de Cássio.

Quando o São Paulo era dono do jogo, Emerson invadiu a área pela esquerda, passou por dois marcadores e caiu. Os jogadores e a torcida corintiana reclamaram muito de pênalti. Mas foi apenas um susto para os donos da casa, que seguiam comandando o jogo e voltaram a incomodar com Ademilson, que, após contra-ataque, exigiu trabalho de Cássio aos 20 minutos. Pouco depois, Maicon tentou de fora e a bola passou perto.

O São Paulo ainda teria mais uma ótima chance, com Aloísio, que parou em Cássio, antes que o Corinthians perdesse grande oportunidade. Aos 28 minutos, Romarinho recebeu, girou bem sobre Paulo Miranda e arrancou. O atacante tinha a opção de bater ou tocar para Emerson e, em meio à indecisão, acabou perdendo um pouco o ângulo. Quando decidiu bater, facilitou para Rogério Ceni, que espalmou.

A partida ficava mais movimentada e nos dois minutos seguintes o São Paulo respondeu com duas ótimas oportunidades. Aos 29 minutos, Douglas cruzou da direita e Maicon, sozinho, na linha da pequena área, cabeceou para fora. Aos 30, Jadson achou Ademilson no meio da defesa corintiana, mas o atacante bateu em cima de Cássio. O time do Morumbi seguia pressionando, mas iria para o vestiário sem marcar.

A etapa final começou diferente, mais equilibrada. O Corinthians não se preocupava apenas em se defender e, mais ofensivo, começava a dar trabalho para a defesa adversária. O que não mudava era o clima quente entre os jogadores em campo, quase sempre em lances envolvendo Emerson. Foi do atacante, aliás, a primeira grande chance do segundo tempo, quando ele recebeu lançamento de Diego Macedo, mas, de frente para Rogério, pegou mal e facilitou para o goleiro.

Mas o jogo já não tinha a movimentação e as oportunidades dos primeiros 45 minutos. A emoção só voltou aos 26 minutos, e em jogada de bola parada. Guilherme colocou a bola para a área, a sobra ficou com Paulo André que tentou de primeira, de esquerda, e quase marcou um golaço.

Um minuto depois, Emerson outra grande oportunidade. Diego Macedo desarmou no campo de defesa, tabelou com o atacante e lançou-o, nas costas de Edson Silva. Emerson, então, arrancou sozinho e, de frente para Rogério, bateu muito mal, para fora. Aos 36, o goleiro são-paulino impediu o gol de Paulo André, em cabeçada à queima-roupa de Paulo André.

Aos 43 minutos, o grande lance da partida. Reinaldo tabelou com Welliton, invadiu a área e, em disputa com Diego Macedo, caiu. Wilson Luiz Seneme marcou o pênalti duvidoso. Rogério Ceni foi para a cobrança. Cássio caiu para o canto certo e desviou. A bola ainda tocou na trave antes de sair.

 

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 0 X 0 CORINTHIANS

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio e Edson Silva; Douglas, Denilson, Maicon, Jadson e Reinaldo; Ademilson (Lucas Evangelista) e Aloísio (Welliton). Técnico: Muricy Ramalho.

CORINTHIANS – Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Edenílson, Guilherme e Danilo (Diego Macedo); Romarinho (Ibson) e Emerson Sheik. Técnico: Tite.

CARTÕES AMARELOS – Paulo Miranda, Douglas, Jadson (São Paulo); Diego Macedo (Corinthians).

ÁRBITRO – Wilson Luiz Seneme (SP).

RENDA – R$ 596.307,00.

PÚBLICO – 50.282 pagantes (50.394 total).

Local – Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).