Às vésperas da sétima etapa da temporada 2019 da Fórmula 1, a Mercedes vai aproveitar as características do Circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, para realizar a primeira atualização do seu motor nesta edição do campeonato, em uma tentativa de seguir sendo soberana neste ano.

O traçado de Montreal possui longas retas, o que motivou a Mercedes a buscar minimizar o seu déficit de velocidade nas retas com essa atualização. Afinal, embora a equipe tenha vencido todos as seis corridas realizadas em 2019, não possui o motor mais potente do grid.

“No lado do motor, os caras da Brixworth (onde se faz os motores da Mercedes) têm trabalhado incrivelmente bem. Não foi o começo mais fácil do ano em termos de preparar um motor”, disse o britânico Hamilton, elogiando o trabalho que vem sendo desenvolvido pela equipe.

Na sua avaliação a atualização chega no momento certo. “Este é um circuito de potência, então isso chegou na hora perfeita. Se você olhar para os anos anteriores, esta é sempre a corrida em que trazemos o segundo motor”, acrescentou o líder do Mundial de Pilotos.

O Canadá é tradicionalmente onde os fabricantes de motores realizam sua primeira atualização de motor da temporada, mas a Honda o fez no GP do Azerbaijão, enquanto Renault e Ferrari introduziram uma nova especificação no GP da Espanha.

O GP do Canadá foi vencido em 2018 pelo alemão Sebastian Vettel, mas a Mercedes havia triunfado nas três edições anteriores da corrida, em Montreal, sempre com Hamilton.

As atividades do fim de semana da prova se iniciarão nesta sexta-feira, às 11 horas (de Brasília), com a realização do primeiro treino livre. A sessão classificatória da prova será às 15h de sábado, enquanto a largada da corrida ocorrerá às 15h10 do domingo.