A seleção brasileira encerrou sua temporada com uma vitória tranquila sobre o Egito, por 2 a 0, em Doha, no Catar, nesta segunda-feira. Novamente com uma formação mista, o time de Mano Menezes não fez uma grande apresentação, mas contou com dois gols de Jonas para assegurar o triunfo.

Com o resultado, o treinador encerrou o ano de forma positiva, depois de tropeços em amistosos contra rivais de peso e uma eliminação decepcionante nas quartas de final da Copa América. Ao todo, o Brasil acumulou nove vitórias, três derrotas e quatro empates em 2011.

Depois de um ano movimentado, a seleção voltará a campo somente no dia 29 de fevereiro de 2012. O adversário, ainda não confirmado pela CBF, deverá ser provavelmente o próprio Egito, em local ainda a ser definido.

O JOGO – Nesta segunda, Mano decidiu devolver os titulares Daniel Alves, Lucas Leiva e Thiago Silva ao time, após fazer testes diante do Gabão. O lateral Adriano, com dores, foi cortado. Alex Sandro foi seu substituto, enquanto Fernandinho ficou com a vaga de Elias no meio-campo.

A volta de três titulares, contudo, não trouxe maiores mudanças no time brasileiro, em comparação com o duelo da semana passada. Brasil e Egito, que estreou o técnico norte-americano Bob Bradley, fizeram um primeiro tempo sonolento, de raras chances de gol e pouca movimentação.

A seleção de Mano cadenciou a partida nos primeiros minutos. Sem mostrar agressividade, apenas estudava o adversário e trocava passes na intermediária. O Egito, por sua vez, era ainda mais cauteloso. Mantinha a bola na defesa, à espera do melhor momento para buscar o ataque.

A falta de entrosamento e a pouca criatividade no meio-campo restringia as opções brasileiras. Restavam apenas as finalizações de longa distância. Hernandes, aos 3, criou o primeiro lance de perigo, ao bater por cima do travessão. O Egito ameaçou logo na sequência, em cobrança de falta. Diego Alves espalmou no meio do gol, aos 6. Mas as investidas egípcias pararam por aí.

Aos poucos, o Brasil cresceu em campo e passou a se arriscar mais no ataque, sob a liderança de Hulk. O atacante quase marcou aos 26, ao dominar na entrada da área, cortar o marcador e, cara a cara com o goleiro, bater forte por cima do gol.

Aos 31, ele deu belo toque de calcanhar para Alex Sandro, que escapou pela esquerda, botou entre as pernas do zagueiro dentro da área e bateu com perigo. O goleiro El Shenawy se esticou e fez boa defesa.

O gol que salvou o primeiro tempo brasileiro saiu aos 38, novamente em jogada de Hulk. O atacante avançou pela direita e bateu cruzado para Jonas completar para as redes. Foi o primeiro gol do ex-jogador do Grêmio com a camisa da seleção.

Embalado, Jonas quase marcou seu segundo gol logo na volta do intervalo. Aos 40 segundos, ele escapou pela direita, invadiu a área, driblou o goleiro e bateu para o gol. A bola só não entrou porque o zagueiro desviou em cima da linha.

Insistente, o atacante conseguiu chegar ao segundo gol aos 13 minutos. Ele aproveitou rebote do goleiro e mandou para as redes após cobrança de falta na área de Bruno César e desvio de cabeça de Fernandinho.

Com a boa vantagem no placar, o Brasil reduzia o ritmo, enquanto Mano voltava a sua rotina de testes no time. Elias, Willian, Kléber e Dudu ganharam nova chance. Os novatos quase marcaram o terceiro gol aos 40 minutos. Dudu cruzou na área, Kléber acertou a cabeça e mandou no pé da trave. No rebote, o próprio Dudu cabeceou para fora.

Do outro lado do campo, Diego Alves garantiu o placar ao fazer bela defesa na única boa chance de gol dos egípcios. Ele pulou no canto direito e neutralizou o forte chute de Hassan, aos 36 minutos.

Ficha Técnica:

Brasil 2 x 0 Egito

Brasil – Diego Alves; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Alex Sandro; Lucas Leiva, Fernandinho (Elias), Hernanes e Bruno César (Willian); Jonas (Kléber) e Hulk (Dudu). Técnico: Mano Menezes.

Egito – El Shenawy; Fathi, Gomaa (Okka), Abd Rabou (Hassan), Elmehamady; Hegazy, Ghaly (Salah), Shikabala (El-Said), Nasef; Motaeb (Dodi Gabas) e Zidan (Soleman). Técnico: Bob Bradley.

Gols – Jonas, aos 38 do primeiro tempo e aos 13 do segundo tempo.

Cartão amarelo – Não houve.

Árbitro – Banjar Al Dosari (Catar).

Local – Estádio do Al Rayyann, em Doha (Catar).