Ainda com sérios problemas de desfalques, o Atlético Mineiro enfrenta o Atlético Paranaense nesta quarta-feira embalado pelo triunfo sobre o Cruzeiro no último domingo. Mas a animação pela vitória em cima do arquirrival pode não ser suficiente para impulsionar o time na partida pela 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro, marcada para as 21h50 no estádio Durival de Britto, em Curitiba.

A equipe mineira tem cinco atletas vetados por causa de lesões, incluindo o ídolo Ronaldinho Gaúcho e o capitão Rever, e também já sabia que não poderia contar com o atacante Jô e o goleiro Victor, ambos à disposição da seleção brasileira. Mas a situação foi agravada pelos desfalques do volante Pierre e do zagueiro Leonardo Silva, que terão que cumprir suspensão por causa do terceiro cartão amarelo. E, para piorar, o lateral-direito Marcos Rocha foi relacionado pelo técnico Cuca, mas é dúvida porque já atuou no clássico do fim de semana com dores na panturrilha.

Por isso, mais uma vez o treinador terá que escalar um time misto e para encarar o único time que impôs uma derrota ao Atlético no estádio Independência, em Belo Horizonte, desde que a arena foi reinaugurada em meados do ano passado.

Mas o atacante Diego Tardelli negou que a equipe alvinegra tenha isso em mente para o confronto, que, segundo ele, não é “revanche”. “Acho que a responsabilidade é maior do Atlético Paranaense. Eles que estão brigando por uma vaga na Libertadores. Vai ser um jogo difícil porque é uma equipe que vem mantendo um bom futebol desde o primeiro turno”, declarou.