O Uruguai prossegue em sua marcha rumo ao seu 15.º título da Copa América, que o isolaria como o maior campeão da história da competição, à frente da Argentina, que soma 14 – o Brasil tem 8 conquistas. Nesta terça-feira, a equipe celeste derrotou o Peru por 2 a 0, no estádio Ciudad de La Plata, em La Plata, e nesta quarta aguarda o seu adversário na final de domingo, que sairá do jogo entre Paraguai e Venezuela.

A seleção do Uruguai mudou seu jeito de jogar. Contra o Peru, foi o time de Tabárez quem tomou a iniciativa de buscar o ataque. A marcação uruguaia, ao contrário do que ocorrera contra a Argentina nas quartas de final, começava no campo de ataque, procurando forçar o erro dos peruanos. Suárez, o mais avançado jogador da seleção celeste, pressionava até a reposição de bola do goleiro Fernández. A estratégia deu algum resultado, mas apenas nos primeiros minutos.

O restante de todo o primeiro tempo foi uma repetição de um mesmo roteiro: o Uruguai vivia das cobranças de falta de Forlán para a área, na esperança de que Lugano ou Coates acertassem uma cabeçada. O Peru só se defendia e, esporadicamente, arriscava um chute de longe.

No segundo tempo, o jogo caminhava na mesma batida, mas tudo mudou quando a dupla de talentos uruguaios apareceu. Aos 7 minutos, Forlán chutou de fora da área, Fernández rebateu e a bola sobrou para Suárez fazer o primeiro gol.

A partir daí, a seleção peruana teve que partir para o ataque. Foi aí que o jogo ficou todo para o Uruguai, que não desperdiçou e matou a classificação logo em seguida. Aos 12 minutos, Suárez se aproveitou de uma bobeira da zaga peruana e saiu sozinho na frente do goleiro. Ele driblou Fernández e fez 2 a 0 para a equipe celeste.

Depois disso, foi só esperar o tempo passar. E isso, após tantos anos longe de decisões e de ter que eliminar a dona da casa para chegar até lá, deve ter sido a parte fácil.

Ficha técnica

Peru 0 x 2 Uruguai

Peru – Valverde; Rodríguez, Acasiete, Vilchez e Carmona; Advíncula (Lobatón), Yotún (Chiroque), Balbín (Ballón), Cruzado e Vargas; Guerrero. Técnico: Sergio Markarian.

Uruguai – Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Coates e Cáceres; González, Gargano (Eguren), Arévalo e Alvaro Pereira; Suárez (Hernández) e Forlán. Técnico: Oscar Tabárez.

Gols – Suárez, aos 7 e aos 12 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos – Lobatón, Yotún e Balbín (Peru); Lugano, Gargano e Suárez (Uruguai).

Cartão vermelho – Vargas (Peru).

Árbitro – Raúl Orozco (Fifa-Bolívia).

Renda e público – Não disponíveis.

Local – Estádio Ciudad de La Plata, em La Plata (Argentina).