A crítica situação financeira dos clubes de futebol segue sendo estudada. Ontem, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, se reuniu com dirigentes, entre eles Vilson Ribeiro de Andrade, presidente do Coritiba e da Comissão de Clubes, para uma nova rodada de conversas a respeito da aprovação a criação da Lei de Responsabilidade Fiscal no Esporte (LRFE) no Congresso Nacional, proposta do deputado federal Otávio Leite (PSDB-SP). Além de Vilson, estiveram presentes Eurico Miranda, recém-eleito presidente do Vasco, Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, Giovanni Luigi, presidente do Internacional, e Alexi Portela, presidente da Liga de Clubes do Nordeste.

O principal objetivo da LRFE é refinanciar as dívidas dos clubes, que atualmente giram em torno de R$ 4 bilhões. O projeto estabelece, principalmente, um prazo de 25 anos para o pagamento destas dívidas. Para isto, os clubes teriam que apresentar as certidões negativas de débito no começo de cada ano. Caso descumpram a lei, correm o risco de rebaixamento.

A proposta já foi aprovada em Comissão Especial criada na Câmara dos Deputados. Porém, ainda precisa ir à votação em plenário e, se aprovada, ainda passará pelo Senado. “Foi uma convocação do Ministro do Esporte. Essa reunião serviu para mostrar a proposta dos clubes, o que eles reivindicam, as sugestões e os pontos de vista deles’, disse o mandatário coxa-branca. ‘Não vejo um empecilho para que a lei não seja levada adiante. Esse projeto é muito importante na mudança da concepção do futebol brasileiro’, completou ele.

Eurico Miranda

Na reunião de ontem, talvez o que tenha mais chamado a atenção foi a presença de Eurico Miranda. Confirmado na última quarta-feira como presidente do Vasco, o dirigente só assume o clube no dia dois de dezembro, mas já fez parte do encontro pelo fato de o secretário-executivo do Ministério, Luis Fernandes, ter sido eleito presidente do conselho deliberativo do Vasco.