Frankfurt – O mundo, pelo menos o mundo do futebol, tem um compromisso hoje, às 16h (de Brasília): ver a Argentina jogar em Frankfurt.

O adversário é a Holanda, duríssimo, mas a pergunta a ser respondida após os 90 minutos refere-se aos argentinos.

É possível repetir a maravilhosa partida do dia 16, quando Sérvia e Montenegro foi humilhada por 6 a 0?

Esse é o ponto que transforma esse jogo no mais esperado da primeira fase, com jornalistas de todo o mundo deslocando-se até Frankfurt. É a grande atração, pois os dois times já estão classificados para a segunda fase, com seis pontos. Um empate dá o primeiro lugar à Argentina. E o direito de jogar contra o segundo colocado do Grupo D, provavelmente México. E com poucas possibilidades para Portugal e Angola.

Classificados, os treinadores Jose Pekerman e Marco van Basten vão poupar jogadores.

É uma certeza, apesar do mistério que fazem. A idéia é que os que têm um cartão amarelo descansem, para que o time esteja completo na fase do mata-mata.

A Argentina vai com um ataque novo, sem Saviola e Crespo. Tevez entra na esquerda, mas a escolha de seu companheiro surpreende. Não será Messi, a estrela que sobe.

A opção foi por Júlio Cruz, jogador da Inter de Milão.

Outro ausente garantido é Gabriel Heinze, que dará lugar a Milito, do Zaragoza. Há ainda a possibilidade da entrada de Scaloni no meio, com a saída de Mascherano ou Cambiasso.

Van Basten, pela Holanda, disse ontem que só à noite, após uma reunião com os companheiros de Comissão Técnica é que decidiria quem seria poupado. Dos cinco que têm amarelo, apenas o zagueiro Khalid Boulahrouz, nascido em Marrocos, é que em joga.

O ponta Robben, o volante Von Bommel, o lateral Von Bronckhosrt e o zagueiro Mathijsen vão descansar. E o lateral Heitinga, contundido, também será poupado.

?A Holanda é um grande time e temos muito respeito por esse adversário?, diz Pekerman.

?É um clássico do futebol mundial?, afirma Saviola, mesma opinião exposta por Van Bommel. ?A Argentina é forte e para vencê-la temos de saber que também somos fortes.

Só assim se vence?, declara Van Basten.

O clássico é hoje. O mundo espera ansioso.