Considerado clube de maior expressão da Série D do Brasileiro, o Juventude-RS também chegou a ser algoz dos paranaenses que enfrentou no ano. Histórico que não intimida o Cianorte, que viaja hoje à Caxias do Sul com um dossiê técnico e tático da equipe gaúcha, adversária de domingo no mata-mata da 2ª fase do campeonato.

Mesmo as últimas partidas do Juventude na fase inicial da Série D chegaram a ser acompanhadas por representantes do Leão do Vale. É o que garante o diretor de futebol do Cianorte, Adir Kist, que em sua época de jogador foi revelado nas categorias de base da própria equipe gaúcha. “Acho que estamos preparados. O que tinha que ser feito, foi feito”, disse.

De acordo com o treinador do Cianorte, Paulo Turra, os vídeos dos últimos jogos do próximo adversário são complementos daquilo que ele já conhecia. O comandante do Leão do Vale teve o futebol gaúcho como palco de boa parte seus trabalhos na atual profissão, embora nos tempos de jogador tenha conquistado grande vínculo com o Caxias – principal rival do Juventude. “Nem precisei pedir nada, que o pessoal já mandou as informações. Bate com aquilo que eu já sabia”, afirma. “Tenho convicção que tudo vai dar certo. Mas futebol não é uma ciência exata”, conclui.

Todas as providências tomadas pelo Cianorte visam evitar desfecho similar ao dos outros dois paranaenses que duelaram com o Juventude durante o ano. A equipe gaúcha acumula classificações sobre Operário, na Copa do Brasil, e disputando com o Arapongas, na fase de grupos da Série D 2012. Além de ter disputado por 13 vezes consecutivas a Série A do Brasileiro, o clube também carrega no histórico o título de campeão da Copa do Brasil de 1999.

Time

Para tentar manter a invencibilidade, Paulo Turra poderá contar com o retorno de três jogadores que cumpriram suspensão contra o Marília-SP: O zagueiro Alexandre, o volante Jovane e o meia Paulinho.