O futuro do Paraná Clube será decidido hoje, nas urnas. A expectativa é que cerca de mil associados votem nesse pleito que coloca frente a frente as chapas “Planejamento e Trabalho” e “Força e União”. Situação e oposição trazem, na essência, discursos parecidos: a intenção de colocar em prática um plano estratégico capaz de fazer o Tricolor retomar o caminho do crescimento ao longo dos próximos anos, embutindo em tudo isso a volta à Série A do Campeonato Brasileiro.

A chapa “Força e União”, liderada pelo advogado e economista Ivan Ravedutti, representa a oposição e chega com o apoio da torcida Paranautas – o maior fórum de debates em torno do clube. Ravedutti tem como companheiros de chapas Darkles Guimarães (ex-presidente da Paranautas) e Oliveiros Machado Neto. “Trazemos uma nova opção para o nosso associado. O momento do clube nos dá a certeza de que é a hora para mudanças e o surgimento de novas lideranças”, prega.

O candidato diz estar aberto ao apoio de todos os ex-presidentes, mas não confirma uma aliança com José Carlos de Miranda. “Respeito todos os que estiveram no comando do clube. Aceitamos apoio e sugestões. Mas as decisões serão sempre nossas, com a palavra final do presidente sempre”, cravou Ravedutti. Mesmo entendendo que o Paraná precisa, urgentemente, se profissionalizar, não vê a contratação de um gerente do futebol como o primeiro passo para uma guinada do Tricolor no seu principal filão: o futebol profissional.

Já a situação “Planejamento e Trabalho” tem um pensamento firme sobre esse tema. O candidato à presidência, Rubens Bohlen, vê a necessidade do Paraná contratar gestores para o futebol e para o social, transformando a administração do clube e adequando-a ao planejamento estratégico elaborado para os próximos oito anos. Um trabalho realizado em parceria com o Senai, e que abrange todos os setores do clube, dando destino às suas sedes e estabelecendo uma linha de ação que tem como meta a colocação do Paraná como um dos grandes clubes do futebol brasileiro.

Rubens Bohlen tem como companheiros de chapa Paulo César Silva e Luiz Carlos Casagrande, que ficariam responsáveis pela administração do futebol e do social, respectivamente. A vitória da situação representaria, ainda, a continuidade do grupo que vem tocando o clube desde o início do ano, com Celso Bittencourt (financeiro) e Wladimir Carvalho (marketing). Por volta das 21h, estima-se que o Paraná Clube já tenha seu novo presidente eleito, visando o biênio 2012-2013.