A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) apresentará em 30 dias ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva uma proposta para adequar o calendário do futebol do País ao europeu. Em encontro no Centro Cultural Banco do Brasil, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, avaliaram que, diante da resistência das emissoras de TV, será preciso definir a mudança, que passará ainda por um tempo de transição, por conta dos contratos para transmissão dos jogos.

A mudança, na avaliação do cartola reduzirá as transferências de jogadores durante os campeonatos. O ministro do Esporte, Orlando Silva, que participou do encontro, disse que os detalhes da mudança serão discutidos a partir de agora. Com essa alteração, os clubes brasileiros entrariam em recesso no meio do ano, entre junho e agosto. Atualmente, o recesso ocorre no começo de dezembro e início de janeiro. “Há argumentos favoráveis e contra a mudança no calendário. O fato é que algo deve ser feito”, disse o ministro. “O presidente Lula pediu uma série de propostas para fortalecer os clubes e manter por mais tempo no Brasil os atletas.”

A mudança no calendário é criticada especialmente pelas emissoras de televisão. Orlando Silva disse que é preciso um “pacto” envolvendo clubes, emissoras e governo. “Todos têm de sentar à mesa”, disse o ministro. Ele defendeu uma “Lei de Responsabilidade Fiscal dos Clubes”, com medidas para impedir a má utilização dos recursos financeiros.

No encontro, Lula pediu a Ricardo Teixeira para ceder ao Chile o direito de realizar a Copa América de 2015. O Brasil, que tem o direito de organizar o torneio, seria o anfitrião da Copa América de 2019. O ministro Orlando Silva disse que a proposta foi feita pela presidente do Chile, Michelle Bachelet.