São Paulo – O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, está negociando uma quarta cota de patrocínio da seleção brasileira com grandes instituições financeiras. Só que a entidade ainda não bateu o martelo e os valores do contrato ainda estão em estudo. Segundo uma fonte que acompanha as negociações, pode envolver um banco e uma seguradora de banco. Hoje, os patrocinadores da seleção são AmBev, Nike e Vivo. A intenção de ter uma quarta cota de patrocínio tem a ver com os gastos, em euros, que vai demandar a Copa 2006, na Alemanha.