A CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) se pronunciou publicamente a respeito dos casos de doping de dois atletas do Grêmio Náutico União, do Rio de Janeiro. Por ser menor de idade, a maratonista aquática Lauren Goulart recebeu apenas uma carta de advertência, enquanto Samuel de Bona, que conquistou o título brasileiro de maratonas aquáticas em 2010, terá de cumprir 30 dias de punição. Flagrados no exame antidoping do dia 12 de novembro do ano passado, quando disputaram a etapa de Araruama, válida pelo Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticos, as duas amostras deram positivo para a substância metilhexanamina, que inibe a sensação de fadiga e pertence à classe de estimulantes.

Os resultados obtidos pelos dois atletas foram anulados. A CBDA informou também que, em consequência da anulação dos resultados, a contagem de pontos (tanto por atletas quanto por clubes) e as premiações serão refeitas.