O Paraná Clube inicia a semana sob o clima da incerteza. A diretoria corre atrás de reforços, enquanto a comissão técnica prepara um “listão” de dispensas. Reflexo de uma campanha pífia no Paranaense-2011: 6,7% de rendimento e a lanterna da competição.

Sem dinheiro para investimentos significativos no futebol, o clube está apostando em parcerias com empresários, que resultam na vinda de jogadores com alguma bagagem internacional.

Anderson Tozato
Roberto Cavalo busca uma saída, mas tá ruim.

O Tricolor irá apresentar – talvez ainda hoje – o zagueiro Rodrigo Defendi, 24 anos, e o meia Douglas Packer, 23. “Não iremos onerar o clube como foi feito no passado. Esses reforços vêm com parte de seus salários bancada por empresários ou seus clubes de origem”, disse o vice de futebol Paulo César Silva.

Uma diretriz similar à utilizada no caso envolvendo o atacante Kerlon, da Internazionale de Milão. “Estamos saneando o Paraná. E, para isso, não podemos nos desesperar. Quem não emplacou vai embora, mas isso já estava acordado com todos”, explicou Paulão.

Rodrigo Defendi estava no Palmeiras-B desde o ano passado, onde disputou a Série A-3 do Campeonato Paulista. Sem chances de ascender ao grupo principal, chega para ser titular de uma zaga que até aqui mostrou muita fragilidade.

O Paraná levou nada menos do que 11 gols em cinco jogos. Defendi foi formado nas categorias de base do Comercial de Ribeirão Preto, sua cidade natal. Ainda garoto transferiu-se para o Cruzeiro e de lá foi negociado com o Tottenham, da Inglaterra.

O zagueiro foi emprestado ao Udinese, da Itália. Atuou ainda pela Roma, antes de chegar ao Avellino. Quando o clube italiano faliu, retornou ao Brasil e foi contratado pelo Palmeiras-B.

Disputou a terceira divisão estadual sob o comando do técnico Jorge Parraga (que já trabalhou na base do Paraná Clube). Rodrigo Defendi chega hoje pela manhã e no início da tarde passa pelos exames de rotina, na Vila Capanema. O mesmo vale para Douglas Packer.

O meia, catarinense de Indaial, começou no Ipatinga-MG, mas construiu sua carreira profissional no futebol italiano. Em 2005, acertou com a Juventus de Turim. Porém, nunca atuou pela “Velha Senhora”.

Foi emprestado ao Siena, que, dois anos depois, o contratou em definitivo. Packer foi emprestado ao Pescara e ao Ravenna e, agora, retorna ao futebol brasileiro. “São jogadores jovens, mas com alguma bagagem. Temos boas referências de ambos e esperamos que eles se encaixem rapidamente no Paraná”, comentou Paulo César.

Guilhotina

O técnico Roberto Cavalo confirmou que dispensas serão inevitáveis. O atacante Paulo Matos, que teve atuações muito fracas, “puxa a fila”. Segundo o treinador, essa questão está definida.

Evitou, porém, citar nomes de outros jogadores que pegarão a mesma “barca”. Mesmo assim, não é difícil imaginar que os zagueiros Onildo e Carlinhos serão chamados para acertar suas rescisões.

Peneira

O Paraná segue aberto a testes. Desde a semana passada, o meia Vinícius, com passagem pelo Vasco da Gama, está trabalhando com o elenco principal. Mais de uma dezena de atletas já passou pelo clube nestes moldes, sendo que a maioria não vingou. Também a partir dessa semana pelo menos mais dois jogadores da base serão chamados para trabalhar com o técnico Roberto Cavalo.

De saída

O clube não confirma, mas o volante Luiz Camargo pode deixar o Paraná nos próximos dias. Ontem, correram boatos de uma possível transferência do atleta para o interior paulista.

Camargo não atuou fre,nte ao Cianorte porque estava suspenso, mas poderia voltar ao time diante do Paranavaí, na próxima quarta-feira (às 19h30, no Durival Britto).