Depois de participar de um treinamento na manhã desta segunda-feira, Cássio seguiu em direção ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, de onde o elenco do Corinthians partirá em voo marcado para 14h25 rumo a Buenos Aires, palco do duelo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores, contra o Boca Juniors, nesta quarta, às 21h50.

Durante o embarque, o jogador garantiu ter superado uma fratura no punho esquerdo, que o deixou afastado do gol corintiano. “Estou bem, recuperado, se o professor Tite precisar de mim estou à disposição para jogar”, disse o atleta, antes de admitir que ainda sofre com um certo incômodo no membro fraturado.

Ao ser questionado se ainda sente dores, Cássio respondeu: “É difícil falar, mas tem vários tipos de dor, a que eu tenho é pequena porque estou voltando de lesão, mas não atrapalha nenhum movimento”.

Cássio também negou temer a falta de ritmo de jogo pelo tempo que ficou sem atuar ao lembrar que, no ano passado, substituiu com sucesso o então titular Júlio César a partir do duelo de ida das oitavas de final da Libertadores, contra o Emelec, no Equador. “Contra o Emelec tive de entrar e dei conta do recado, mas, é claro, vamos respeitar o Tite se ele optar por mim ou pelo Danilo (Fernandes), que vem jogando. Estou aí para trabalhar e ajudar o Corinthians. Ainda não foi decidido quem será o goleiro”, lembrou.

O Corinthians embarca para Buenos Aires com três goleiros. Além de Cássio, viajam Danilo Fernandes, titular no último domingo contra a Ponte Preta, e Matheus Vidotto. O garoto da base acabou sendo relacionado depois de o clube anunciar nesta segunda-feira que Júlio César está em negociação adiantada com o Vasco, com quem o jogador deverá assinar contrato de empréstimo até o fim deste ano.