O presidente do Sport, Luciano Bivar, foi suspenso nesta sexta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O dirigente, que declarou em março ter feito pagamento para que o ex-volante Leomar fosse convocado para a seleção brasileira, foi punido com 180 dias de suspensão de suas funções como presidente do clube. A decisão é da 4ª Comissão Disciplinar. Bivar pode recorrer.

Ele foi suspenso com base no artigo 221 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: “Dar causa, por erro grosseiro ou sentimento pessoal, à instauração de inquérito ou processo na Justiça Desportiva”. Segundo o relator do processo, Lucas Rocha, o presidente do Sport agiu, no mínimo, de forma leviana. “Não importa saber se a conduta do denunciado se deu por erro grosseiro ou sentimento pessoal, como diz o artigo”, disse.

Bivar afirmou que pretende recorrer da decisão. “Os senhores não sabem quando dói para alguém que tem moral ver seu nome nas páginas de jornal como denunciado. Para um leigo, é como se eu fosse julgado no STJ por corrupção”, disse o presidente do Sport durante o julgamento.

Durante o processo, Emerson Leão e Antônio Lopes, técnico e coordenador técnico da seleção na época do fato a que se referia Bivar, chegaram a depor no STJD.