O capitão do tetra, Dunga, defendeu nesta quarta-feira o atual dono da braçadeira na seleção, Thiago Silva, que foi bastante criticado pela postura que teve antes das cobranças de pênalti contra o Chile, sábado passado, pelas oitavas de final. Na ocasião, Thiago Silva foi visto sentado sobre a bola com uma expressão de preocupação e pediu para ser a última opção do técnico para as cobranças.

“Cada um tem uma forma de reação, uma personalidade”, destacou Dunga, que esteve sentado ao lado do ex-atacante argentino Claudio Caniggia, autor do gol que tirou o Brasil da Copa de 1990. Os dois participaram de um evento na Casa Coca-Cola, instalada ao lado do Maracanã.

Dunga ficou conhecido por ser um capitão que demonstrava raça e temperamento forte em campo. Além disso, o ex-capitão marcou um dos gols na decisão por pênaltis contra Itália, na final da Copa de 1994, e outro nas cobranças diante da Holanda, nas semifinais do Mundial de 1998.

“A gente tem que ver pelo lado do ser humano também. Apesar de ele (Thiago Silva) ser um jogador de futebol e capitão da seleção brasileira, ele é um ser humano que pode ter virtudes e defeitos como todos nós, e que também sente a pressão como qualquer ser humano natural”, continuou o ex-jogador, que foi técnico de Thiago Silva na Copa de 2010, na África do Sul.

Para Dunga, pesa a favor do atual capitão o fato de o elenco conhecer o estilo do jogador. “O mais importante é que o grupo entende essa reação, sabe do seu potencial, da personalidade do Thiago. Não é só o capitão que tem que fazer a liderança de toda a equipe, os demais jogadores também têm que auxiliá-lo”, considerou. “Somente quem está lá dentro mesmo que pode ter uma visão melhor.”