Depois de meses de preparativos, o Campeonato Brasileiro de Pick-up Racing finalmente realiza neste domingo, na cidade de Guaporé, na serra gaúcha, a primeira etapa da temporada. Mas o atraso para o início da competição tem uma boa justificativa. Um novo pacote técnico, que deixará as pick-ups mais rápidas e a mudança no design dos carros são alguns dos atrativos da categoria para a corrida de abertura.

A mudança mais significativa para este ano é a utilização do álcool como combustível, substituindo o GNV. Com a saída dos cilindros que armazenavam o gás, o peso mínimo da categoria terá uma redução de 1.430 para 1.250 quilos. "A diminuição do peso exigirá mais dos pilotos, pois a parte traseira do carro ficará muito mais leve do que no ano passado", acredita o paranaense Emerson Duda. Outra novidade na parte técnica é a adoção de um kit de câmbio e diferencial idênticos para todas as pick-ups.

Menos peso, mais potência. Os carros, que no ano passado chegavam aos 320 cavalos de potência, devem se aproximar dos 400 nesta temporada. Já a mudança do design das

pick-ups não é apenas uma questão de visual. A nova carenagem terá um extrator de ar na parte traseira, proporcionando um desempenho aerodinâmico maior. "Acho que essa será uma das mudanças que mais agradará ao público. Além dos benefícios na parte técnica, os carros ficaram com um visual bem arrojado", diz Duda.

A expectativa de pilotos e equipes é muito grande para experimentar na prática tudo que foi desenvolvido nos testes. "Trabalhamos muitos nesses meses. As novidades devem deixar a categoria ainda mais atrativa para o público. Estou muito ansioso para ver o resultado dessas novidades na pista", analisa Duda. A organização do campeonato acredita que 20 pick-ups deverão participar da prova. A largada está marcada para as 14h, com transmissão ao vivo pela Rede Vida para todo o Brasil.