O Campeonato Alagoano de futebol de 2009 começou com portões fechados, dois times sem ter onde jogar e os torcedores de CSA e Coruripe revoltados. O jogo, que abriria o Estadual, estava programado para a tarde do sábado (17), no estádio do Corinthians Alagoano.

Com o cancelamento do jogo, a revolta foi geral entre torcedores que estiveram no estádio, mas ficaram do lado de fora. O jogo foi cancelado porque a diretoria do Corinthians não abriu os portões do seu estádio para a partida entre CSA e Coruripe.

Os dois times foram ao estádio, mas um dos ônibus foi barrado e o outro voltou no meio do caminho, quando soube do cancelamento do jogo. Para evitar qualquer tentativa de depredação do estádio, policiais da Polícia Militar, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Cavalaria reforçaram a segurança à beira da rodovia.

Mesmo sob a ameaça de ser punido com a multa de R$ 200 mil e excluído da competição, o presidente do Conselho Deliberativo do Corinthians, João Feijó, manteve-se irredutível. A alegação do clube – de que tinha marcado um “peneirão” exatamente no horário do jogo – não convenceu os torcedores do CSA.

Os dois times – CSA e Coruripe – informaram que vão entrar na Justiça Desportiva pedindo o cancelamento da primeira rodada do campeonato e o ressarcimento dos gastos. Segundo o dirigente Carlos Alberto Calibra, com o cancelamento do jogo o CSA teve um prejuízo em torno de R$ 5 mil, com despesas de hospedagem, alimentação e concentração.

Somente tiveram acesso ao estádio o quarteto de arbitragem, que relatou o ocorrido na súmula a ser entregue ao Tribunal de Justiça Desportiva de Alagoas para decidir o impasse.

O assessor de imprensa da Federação Alagoana de Futebol (FAF), Alberto Lima, informou que os três jogos deste domingo, pela primeira rodada do Campeonato Alagoano estão mantidos, incluindo a partida entre Murici e CRB, no estádio José Gomes da Costa, em Murici.