O Napoli encerrou o ano de 2017 do jeito que queria. Nesta sexta-feira, na abertura da 19.ª rodada do Campeonato Italiano – a última do primeiro turno -, o time viajou até a região da Calábria, bem ao sul do país, e derrotou o Crotone por 1 a 0. O resultado positivo o levou aos 48 pontos, não podendo ser ultrapassado pela Juventus – que tem 44 e joga neste sábado como visitante contra o Verona – e garantindo o simbólico título de “campeão de inverno” na temporada.

Esta não é a primeira vez nos últimos anos que o Napoli termina o primeiro turno do Campeonato Italiano na liderança. A outra foi na temporada 2015/2016, a primeira sob o comando do técnico Maurizio Sarri, mas o título ao final da competição ficou com a Juventus, que é a atual hexacampeã nacional.

Com um futebol envolvente e agressivo, o Napoli fecha o primeiro turno com 15 vitórias, três empates e apenas uma derrota (justamente para a Juventus, com 42 gols marcados e 13 sofridos. Nas últimas 11 temporadas, 10 “campeões de inverno” da Série A conquistaram o título – a única exceção é justamente a edição 2015/2016. No lado derrotado da partida, o Crotone segue na zona de rebaixamento, com 15 pontos.

No primeiro tempo, o Napoli foi soberano e criou boas chances, principalmente com o meia eslovaco Hamsik e os atacantes Insigne e Callejón. O belga Mertens esteve apagado e foi parado pela defesa do Crotone. Durante os 45 minutos iniciais, os anfitriões não chutaram uma bola na meta do espanhol Pepe Reina, que foi apenas um mero espectador.

De tanto rondar a área, o Napoli chegou ao seu gol logo aos 17 minutos do primeiro tempo. Em boa tabelinha na entrada da área, o volante brasileiro Allan achou Hamsik, que bateu cruzado e rasteiro, sem chances para o goleiro Cordaz. O meia eslovaco é o maior artilheiro da história do Napoli com 117 gols – agora dois a mais que o argentino Diego Maradona.

Na etapa final, o Napoli colocou o pé no freio e passou por alguns momentos ruins na partida. Pepe Reina passou a ser exigido e foi bem em uma finalização por cobertura. Os napolitanos também foram à frente, tiveram a posse de bola, mas pouco ameaçaram, dando oportunidade para o Crotone sonhar com, ao menos, um empate.

No final do jogo, Cordaz salvou o Crotone de levar o segundo gol. O goleiro pegou um chute de longe do volante Diawara e, no rebote, parou o atacante Callejón, que bateu rasteiro e cruzado.