Começa hoje o campeonato mais democrático do País. Craques e quebradores de bola, de clubes campeões mundiais ou semiamadores, correm em Maracanãs ou terrões do interior atrás do título da Copa do Brasil, que em 2009 completa 20 anos. E que reservou poucas, ou quase nenhuma glória ao futebol paranaense.

Com o título do Sport em 2008, agora seis estados já têm títulos da competição (São Paulo, Ri de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Pernambuco).

Outros dois (Goiás e Ceará), além do Distrito Federal, chegaram ao menos à final.

Ao Paraná sobraram duas semifinais, ambas com o Coritiba (1991 e 2001), em ambas eliminado pelo Grêmio.

Desta vez, os quatro clubes profissionais de Curitiba têm chance de reverter o desempenho melancólico.

O J. Malucelli participa da festa segunda vez em sua história e faz, inclusive, o jogo de abertura da competição. Pega o Guarani de Campinas (SP) às 15h30 no Janguitão.

Coritiba e Paraná também estreiam hoje, nas distantes Manaus (AM) e Cuiabá (MT), diante de Holanda e Mixto, respectivamente.

O Atlético faz igualmente longa jornada, mas só larga daqui a duas semanas contra o Tocantins, em Palmas (TO).

A CBF mantém a regra que dá a vaga antecipada ao visitante que vencer por dois ou mais gols de vantagem nas duas primeiras fases.

Gol fora de casa continua sendo critério de desempate, em caso de igualdade em pontos e saldo de gols. Novamente, adversários de peso estão fora por disputarem a Copa Libertadores (São Paulo, Cruzeiro, Grêmio, Palmeiras e Sport), o que abre maiores chances ao demais.

Pelo que se viu neste início da temporada, as esperanças não são das maiores para nenhum dos quatro paranaenses. Mas isso não significa muito em termos de Copa do Brasil.