A prova masculina da maratona aquática dos Jogos Pan-Americanos, neste sábado, teve seu horário alterado pela organização. Os homens largarão pouco antes das mulheres, às 9h locais (12h pelo horário de Brasília), cinco minutos antes da prova feminina, que vai ter seu início às 9h05. O cronograma antes apontava a prova masculina tendo a sua largada às 11h30.

A mudança se deu por causa do forte calor e da alta temperatura da água em Puerto Vallarta, cidade litorânea que recebe as provas de maratonas aquáticas, vôlei de praia, vela e triatlo, que não teriam espaço em Guadalajara. Os chefes de equipe de vários países se reuniram e pediram a mudança no horário da prova, sendo atendidos em seu pleito pela organização do Pan.

“A água está muito quente para essa época do ano. Em julho, até entenderíamos essa temperatura, mas em outubro é muito rara. A grande questão é que cada atleta só tem um ‘tiro’ para dar na prova. Com água fria, em geral é a 2km da chegada. Mas com a água quente tem que medir de maneira diferente para não ‘fundir o motor’. Montamos estratégias diferentes de arrancada conforme as características de cada um dos nossos atletas, para que isso não ocorra”, explicou o chefe da equipe brasileira de maratona aquática, Igor de Souza.

O Brasil terá dois nadadores em cada uma das duas provas da maratona aquática: Allan do Carmo e Samuel de Bona entres os homens, e por Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha na disputa feminina.

“É uma prova mais difícil, em condições diferentes do que estamos acostumadas. A água está mais quente que no Mundial de Xangai. Lá, eu consegui uma boa colocação, espero que aqui também consiga”, afirmou Poliana Okimoto, que ficou em sexto lugar no Mundial e, assim, obteve vaga nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano que vem.