A terceira colocação na Copa das Confederações não foi suficiente para que o goleiro da seleção italiana, Gianluigi Buffon, visse a equipe como uma das melhores do mundo. Para ele, o time do técnico Cesare Prandelli ainda precisa evoluir para chegar ao nível de Brasil, Espanha, entre outros, mesmo após o bom futebol apresentado no torneio, disputado em território brasileiro no último mês de junho.

“Nós estamos em um nível diferente. Estamos em um nível em que vínhamos melhorando constantemente nos últimos anos. Esperamos continuar este progresso para chegar onde esperamos, mas por enquanto não estamos em um nível de comparação com os outros times. Esperamos chegar ao nível que queremos na Copa do Mundo do Brasil em 2014”, declarou, em entrevista ao site da Fifa.

Apesar da avaliação, o próprio Buffon reconhece o bom futebol italiano na Copa das Confederações. “Não há dúvidas de que no geral fomos bem, estamos satisfeitos. Mostramos que somos um bom time, capaz de competir em igualdade com todo mundo, o que é uma grande qualidade nossa. Outra vantagem é que temos um grande grupo de jogadores, e isso nem sempre acaba em um bom time, principalmente em nível internacional.”

O experiente goleiro ainda não esqueceu a derrota na semifinal para a Espanha, nos pênaltis, após um empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. Ele não conseguiu pegar nenhuma cobrança, e nem mesmo as três que defendeu na disputa de pênaltis contra o Uruguai, na briga pelo terceiro lugar – após 2 a 2 no tempo normal -, fizeram com que amenizasse a autocrítica.

“Não vejo nada de especial (nos três pênaltis defendidos), é parte do meu trabalho. Claro que é legal vencer nos pênaltis, principalmente após pegar três deles, mas fazer isso na disputa de terceiro lugar tira um pouco do brilho. Não consegui parar de pensar que se tivesse pegado apenas um contra a Espanha teríamos jogado a final no Maracanã”, comentou.