O meia Bryan Ruiz se prepara com a seleção da Costa Rica para “uma final”, como ele mesmo classificou a partida contra a Holanda, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Um dos destaques do time costarriquenho, ele sabe que será um desafio muito difícil, mas garantiu que dá para vencer o confronto deste sábado, em Salvador.

“O jogo contra a Grécia (pelas oitavas de final) era o mais importante de nossas vidas, agora é esse diante da Holanda”, afirmou o jogador do PSV Eindhoven, um dos times holandeses mais tradicionais. “Vamos passo a passo. A Holanda é uma grande equipe, mas tenho que ser sincero e dizer que há uma grande possibilidade de derrotá-los”, completou, sorrindo.

Nesta quinta-feira, a Costa Rica fez as últimas atividades na Vila Belmiro, em Santos, antes de viajar para Salvador, onde enfrentarão os holandeses na Arena Fonte Nova. Para Bryan Ruiz, que encontrará o companheiro de PSV Eindhoven Memphis Depay do outro lado do gramado, o jogo terá um gosto especial.

“É uma linda partida. Jogar na Holanda é especial e, ainda mais, jogar contra a Holanda no Brasil. Para mim, isso é muito legal, um sonho para qualquer costarriquenho”, avaliou o jogador, que acrescentou não estar em contato com Depay durante a disputa da Copa.

Conhecedor do futebol holandês, Bryan Ruiz disse que vem colaborando com o técnico Jorge Luis Pinto na preparação do time para o duelo inédito nas quartas de final. Ele contou que, apesar da maior tradição, espera respeito pela parte da Holanda em uma partida que promete ser “bastante intensa”.

“Falei bastante sobre a Holanda, assim como foi antes do confronto contra a Grécia. Isso porque eu conhecia praticamente todos os jogadores, mas é claro que a nossa comissão técnica também faz todas as análises possíveis”, explicou Bryan Ruiz.