Foi com um largo sorriso que Breno recebeu a camisa 33 – a mesma utilizada na primeira passagem – e foi reapresentado no São Paulo nesta quinta-feira. Formado nas categorias de base do Morumbi, o defensor volta ao clube com a missão de resgatar a promissora carreira interrompida por uma série de lesões e por um drama pessoal.

Libertado no fim do ano passado da prisão na Alemanha após cumprir mais de dois anos de pena por incendiar a própria casa em 2011, ele corre para voltar a ser um jogador profissional e esquecer de vez os problemas.

O discurso, ao menos, está confiante. Três anos depois de jogar profissionalmente pela última vez, Breno revelou não ter medo de não conseguir voltar a jogar e ainda acredita que pode repetir o nível das atuações do passado.

“Tudo o que aconteceu foi um aprendizado, as coisas boas e ruins. Na vida passamos por coisas que servem para nos fazer aprender e melhorar e preciso apagar as coisas ruins e utilizar o que aconteceu para tirar coisas boas. O que passou, passou, o Breno monstro, que existia antes, vai voltar”, declarou.

Mesmo que a promessa se cumpra, será preciso tempo para fazê-la acontecer. Breno atualmente não tem físico de atleta, passará por um longo processo de preparação até voltar a jogar e embora não consiga estipular uma data para o retorno, ele acredita que pode ficar à disposição antes do que todos imaginam.

“Não existe exatamente uma data, mas minha meta pessoal é estar o quanto antes à disposição do professor. Acredito que poderei estar no Brasileiro, mas imagino conseguir isso ainda antes”, afirmou.

O defensor, no entanto, precisará ter paciência já que os exercícios puxados acabaram causando um estiramento muscular na coxa esquerda. Tudo dentro da normalidade, segundo a comissão técnica, já que se trata de um caso excepcional.