Em compasso de espera sobre seu futuro, e com a expectativa de seguir adiante seu projeto de chegar à Fórmula 1, o brasileiro Lucas Di Grassi colocará à prova o seu condicionamento físico ? especialmente desenvolvido para pilotar os potentes carros da GP2 e da Fórmula 1. Neste domingo, Lucas disputará, ao lado do finlandês Heikki Kovalainenn, titular da Renault na F1, a famosa Maratona de Nova York.

Di Grassi e Kovalainenn percorrerão os 42 quilômetros de corrida defendendo a equipe ING ? banco holandês que patrocina a equipe francesa na Fórmula 1. Adepto das práticas esportivas e conhecido por seu zelo com a condição física, Lucas disputará pela primeira vez uma maratona internacional. ?Antes de mais nada, será um misto de diversão e prazer, pois esta corrida é uma espécie de superprova para os praticantes de corrida a pé em todo o mundo?, diz o brasileiro. ?Mas será também uma oportunidade de colocar a prova o meu condicionamento físico. Vai ser muito interessante?, completa Di Grassi, que em 2007 integrou, pelo quarto ano consecutivo, o RDD (Renault Driver Development), programa de desenvolvimento de jovens pilotos bancado pela equipe Renault F1 Team.

Na atual temporada, Lucas Di Grassi sagrou-se vice-campeão da GP2, categoria de acesso à Fórmula 1 ? um torneio que, além de Kovalainen, promoveu Lewis Hamilton e Nico Rosberg á categoria máxima. A disputa foi das mais emocionantes da história da categoria, sendo decidida apenas na última etapa do campeonato.

Sobre a Maratona de Nova York ? A primeira edição da prova aconteceu em 1970 e desde então não houve nenhuma interrupção. Tradicionalmente, a largada é dada às 10 horas e 47 minutos locais, sobre a maior ponte pênsil do mundo, ao som de um tiro de canhão do Forte Wadsworth. O atual percurso começa em Staten Island, pouco antes da ponte Verazano, e vai até o Brooklyn.

Dali, os atletas seguem para Queensborough, atravessando o bairro do Queens. Os competidores cruzam a ponte já em Manhattan, viram à direita e fazem um retorno em direção ao Bronx, já passando ao lado do Central Park. A chegada se dá ao sul do parque, na altura da Rua 67. O único brasileiro a vencer uma edição da Maratona de Nova York foi Marilson Gomes da Silva, no ano passado.