Lyon – Juninho Pernambucano atropelou Robinho, ontem, na abertura da Liga dos Campeões da Europa. Simplesmente foi o condutor do Lyon na esmagadora vitória por 3 a 0 contra o Real Madrid, em Lyon, pelo Grupo F. Um show do time francês contra os ?galácticos? sem rumo. Robinho jogou bem, mas não salvou o Real de mais um desastre. E a pressão está em cima de Vanderlei Luxemburgo neste início de temporada.

Não faltou nada para Juninho. Ele marcou um gol de falta, deu outro gol e se deu ao luxo de perder um pênalti quando seu time vencia de três. Tudo isso no primeiro tempo. Demoliu o Real de Luxemburgo.

?Apesar do resultado adverso, temos de manter a calma porque a competição está começando e não podemos nos desmoralizar?, comentou Luxemburgo. ?As estatísticas dizem que criamos muitas oportunidades, mas não convertemos. Eles tiveram sorte porque marcaram na primeira jogada de bola parada e isso decide muitas coisas. No segundo tempo, também tivemos oportunidades e o controle do jogo, mas não fizemos os gols.?

As explicações de Luxemburgo não aliviam a pressão. Em três jogos na temporada, o Real Madrid ganhou um (Cádiz) e perdeu dois (Celta, no Espanhol) e para o Lyon. Nas duas últimas partidas sofreu seis gols e marcou dois.

Como desculpa, o treinador pode alegar que não teve Zidane e Ronaldo, dois pilares do time. Hoje, Luxemburgo deve ser duramente questionado pela crítica espanhola.

Antes da catástrofe de ontem, Luxemburgo havia garantido que manteria o esquema tático que também não funcionou contra o Celta. Mas iniciou o jogo na França com dois volantes, Gravesen e Pablo Garcia e, mesmo assim, a defesa continuou vulnerável.

O Lyon usou apenas dez minutos para despachar os galácticos. Dos 21 aos 31 do primeiro tempo, cravou três gols. O primeiro saiu de cobrança de falta de Juninho, que Carew marcou. O segundo, de Juninho cobrando falta. E o terceiro de Wiltord. Aos 40, Juninho sofreu pênalti, mas errou na cobrança e Casillas defendeu.

No segundo tempo, o time francês apenas administrou os lucros da primeira parte. Fred só entrou aos 27 minutos, quando seu time havia desistido de chegar ao quarto gol. Mesmo assim, o ex-atacante do Cruzeiro criou uma grande chance para deixar sua marca, mas chutou para fora.