A dupla formada pelas brasileiras Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan fechou na quinta posição a sua participação na classe feminina 470 da etapa final da temporada 2018/2019 da Copa do Mundo de Vela, neste domingo, em Marselha, na França.

Após longa espera pelo começo da regata da medalha por falta de vento, as duas velejadoras entraram na água no limite do horário previsto para a largada e cruzaram a linha de chegada em quarto lugar e, assim, terminaram a competição no quinto posto da classificação geral, com 80 pontos perdidos.

“A semana foi de ventos fortes em Marselha, o que para nós foi uma ótima preparação e tivemos uma evolução boa na parte técnica. A regata da medalha estava bem aberta em termos de colocações. Os barcos estavam com pontuações bem próximas e isso deixou a regata bem tensa”, disse Fernanda Oliveira após o fim da etapa realizada em solo francês.

A medalha de ouro desta etapa ficou com as francesas Camille Lecointre e Aloise Retornaz, enquanto a prata foi obtida pelas britânicas Hannah Mills e Eilidh McIntyre e o bronze acabou sendo garantido pelas espanholas Silvia Mas Depares e Patricia Canteros Reina.

Antes de fechar esta temporada 2018/2019 com este quinto lugar, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan conquistaram um bronze em Miami e um ouro em Gênova em outras etapas da Copa do Mundo. Além disso, faturaram um ouro no Campeonato Sul-Americano e um sexto lugar no Troféu Princesa Sofia, na Espanha.

“Nós ficamos bem felizes com o primeiro semestre deste ano. Acabar sempre entre as seis primeiras, com duas medalhas, isso foi bem importante”, afirmou Fernanda.

Com exceção de Marselha, o Brasil teve velejadores no pódio em todas as disputas da vela nesta temporada: em Enoshima (Japão), em setembro do ano passado, Martine Grael e Kahena Kunze faturaram um ouro na classe 49er FX. Em Miami, nos Estados Unidos, em janeiro, as campeãs olímpicas dos Jogos do Rio-2016 também voltaram a subir ao topo do pódio, enquanto Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino ganharam uma prata na classe Nacra 17, além do bronze obtido por Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan na classe 470. Já em Gênova, além do ouro de Fernanda e Ana Luiza, Jorge Zarif triunfou a ganhar a disputa da classe Finn.

Ao todo, foram seis medalhas, sendo quatro ouros, uma prata e um bronze. E agora a seleção brasileira de vela foca os desafios do segundo semestre, no qual disputará os Jogos Pan-Americanos de Lima, os Campeonatos Mundiais de cada classe e o evento-teste dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, de 15 a 22 de agosto, em Enoshima.

O primeiro Campeonato Mundial de classe olímpica previsto no calendário é o da Laser Standard, marcado para acontecer entre os dias 2 e 9 de julho, em Sakaiminato, no Japão.