A participação de Giovanna Pedroso e Ingrid Oliveira no Mundial de Esportes Aquáticos, realizado em Kazan, na Rússia, chegou ao fim nesta quarta-feira, com a eliminação de ambas na fase eliminatória da disputa da plataforma de 10 metros dos saltos ornamentais.

Giovanna foi quem teve melhor desempenho ao terminar as eliminatórias em 22º lugar, cinco posições à frente de Ingrid, em uma disputa que envolveu 35 atletas. Mas esse desempenho não foi suficiente para garanti-la nas semifinais, fase para a qual avançaram apenas as 18 melhores classificadas.

“Fui bem, mas achei que poderia ter sido melhor. Fiz a minha maior pontuação competindo fora do Brasil. Tinha condições de ir mais longe. Meu treinador (Alexander Ferrer) me disse que fui muito bem, até pro ser minha estreia em Mundial”, analisou Giovanna.

A malaia Nur Dhabitah Sabri ficou com a última vaga nas semifinais, com um total de 307,15 pontos. Enquanto isso, Giovana somou 301,40 pontos. Já Ingrid conseguiu 291,95. A melhor atleta das eliminatórias foi a chinensa Qian Ren, com 411,40 pontos.

“A competição é muito longa e o tempo de esperar entre os saltos atrapalha. Mas sei que poderia ter feito melhor. Mas aqui estavam as melhores do mundo. Não consegui treinar o meu salto novo e escolhemos fazer um que é mais seguro, mesmo sendo de dificuldade mais baixa”, disse Ingrid.

Em Kazan, Giovanna e Ingrid participaram pela primeira vez de uma edição do Mundial de Esportes Aquáticos. Após faturarem a medalha de prata na prova sincronizada da plataforma, nos Jogos Pan-Americanos, elas terminaram na 15ª posição nessa disputa na última segunda-feira. Além disso, Ingrid competiu com Luiz Felipe Outerelo na plataforma sincronizada mista de 10 metros, em que eles ficaram em 12º lugar.

Nesta quinta-feira, César Castro e Ian Matos vão participar da fase classificatória do trampolim de três metros com outros 60 saltadores. Os 16 primeiros avançam às semifinais.