Depois de sobreviver ao calor paraguaio em Lambaré e avançar aos playoffs do Grupo Mundial II da Fed Cup, a equipe brasileira feminina de tênis se deu bem no sorteio realizado na terça-feira, em Londres. O Brasil vai jogar em casa contra a Suíça, em local a ser definido, nos dias 19 e 20 de abril. Nesta quarta-feira, as jogadoras e a capitã Carla Tiene receberam a imprensa no clube Paulistano.

O Brasil não disputa os playoffs desde 2004, quando recebeu a Croácia no clube Paineiras e perdeu. Carla Tiene defendia a equipe como jogadora.

A equipe suíça conta com ao menos uma tenista no Top 50, Stefanie Voegele, atual 47ª do ranking. Tem ainda a promissora juvenil Belinda Bencic, 139ª, que tem 16 anos e já venceu dois Grand Slam juvenis, Roland Garros e Wimbledon. “Todas as equipes que poderíamos pegar no torneio são superiores à nossa em termos de ranking. Mas nem sempre o ranking demonstra tudo”, diz Tiene.

A melhor brasileira hoje, Teliana Pereira, é a 92ª no ranking. Paula Gonçalves, que também joga as partidas de simples, é a 309ª. “Vamos jogar em casa e tentar aproveitar, gritando e vibrando muito”, diz Paula, que treina em Serra Negra com Carlos Alberto Kirmayr.

Tiene avalia que as condições da equipe brasileira na Fed Cup melhoraram muito nos últimos dez anos. “Nós viajamos para o Paraguai com fisioterapeuta, preparador físico, capitã e técnico. As jogadoras recebiam suas raquetes calibradas, bem como gelo e suplementação alimentar e tinham relaxamento em banheira de gelo. Na minha época, quando viajávamos ao exterior, íamos só com o capitão”.

A equipe está satisfeita por ter superado duras adversidades. Em Lambaré, a temperatura na quadra atingiu 46º, e as partidas começavam às 13h. A obtenção da vaga nos playoffs foi muito festejada. “A derrota em 2013 foi muito dolorosa. Tivemos 1 a 0 na final e não soubemos aproveitar. Desta vez, fomos para Lambaré acreditando que a vaga era nossa”, diz Tiene.

Na disputa do Zonal Americano, o Brasil derrotou Equador, Colômbia e Bahamas no Grupo B. Na final, superou o Paraguai nas duas partidas de simples, sem necessitar do ponto das duplas. Em 2013, o Brasil perdeu a final para o Canadá. Paula Gonçalves derrotou Sharon Fichman, mas depois Teliana Pereira foi superada por Eugenie Bouchard. Nas duplas, Teliana Pereira e Laura Pigossi sucumbiram perante Fichman e Gabriela Dabrowski.

A escolha da cidade que vai receber o confronto em abril vai atender aos pedidos de Tiene, segundo o presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Jorge Lacerda. A ideia é receber as suíças em quadra de saibro ao ar livre.