A seleção brasileira masculina de vôlei confirmou o favoritismo na manhã deste domingo diante do Japão e garantiu sua vaga nos Jogos Olímpicos de 2012. A equipe de Bernardinho carimbou o passaporte para Londres ao vencer os anfitriões japoneses, por 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 25/19 e 25/22, e faturar a medalha de bronze na Copa do Mundo. O título ficou com a Rússia, algoz da Polônia na final simbólica disputada durante a madrugada.

O Brasil precisava de uma vitória por pelo menos 3 sets a 1 para ficar com a terceira e última vaga olímpica concedida pela Copa do Mundo já que a Itália havia vencido o Irã mais cedo e ocupava provisoriamente a terceira colocação da tabela. A vitória sobre o Japão devolveu os brasileiros ao terceiro posto e assegurou a classificação olímpica. Rússia e Polônia já estavam garantidos em Londres.

O triunfo sobre o Japão foi menos sofrido do que o esperado neste domingo. O duelo começou equilibrado com ligeira vantagem para os anfitriões, que não conseguiram manter a liderança depois do segundo tempo técnico. O Brasil abriu 16/12 e encaminhou o set inicial sem sobressaltos.

O Japão só ameaçou a vitória brasileira em sets diretos na segunda parcial. Eles começaram o set na frente e chegaram a abrir 15/10. Contudo, os brasileiros reagiram rapidamente e, após empatarem em 19/19, faturaram a virada por 25/19, com grande desempenho de Giba no saque.

Embalado, o Brasil manteve o forte ritmo no terceiro set e praticamente não deu chances ao Japão. O time da casa até esboçou uma reação, ao reduzir a vantagem brasileira em 15/14, mas parou no bom desempenho da equipe de Bernardinho, escalada com Bruno, Vissotto, Sidão, Lucas, Giba, Murilo e Serginho. Marlon e Theo entraram no time no decorrer da partida.

Mais cedo, a Rússia coroou sua grande campanha na Copa do Mundo com o título sobre a Polônia, segunda colocada no geral. Com apenas uma derrota (diante do Brasil), os russos chegaram aos 29 pontos com uma vitória sobre os poloneses por 3 sets a 2, parciais de 25/22, 23/25, 25/22, 17/25, 17/15. A Polônia somou 26, enquanto o Brasil alcançou os mesmos 24 pontos da Itália, mas com vantagem nos critérios de desempate.