Principal destaque da seleção brasileira nos últimos anos, o meia-atacante Kaká admitiu nesta terça-feira a vontade de apagar a má impressão deixada pelo Brasil na Copa de 2006. Em entrevista ao site da Fifa, o jogador do Real Madrid relatou que, para isso, nada melhor que uma boa campanha no Mundial na África do Sul.

“Com certeza é uma grande oportunidade para apagar a imagem que deixamos em 2006”, declarou o jogador. Remanescente da geração que chegou ao título mundial em 2002, quando era apenas um coadjuvante na seleção, Kaká tinha papel de destaque na Copa disputada na Alemanha, mas viu o Brasil ser eliminado nas quartas de final.

“Aquela era uma equipe muito vitoriosa, que tinha conquistado muitas coisas, mas chegava ao final de uma era. O grupo deste ano tem muitos jogadores jovens. Temos muita vontade. São atletas que ainda têm muito para mostrar. Estamos no caminho certo”, analisou Kaká, ao comparar a seleção da Copa de 2006 e a que estará na África do Sul.

Apesar de ser apontado como melhor jogador do Brasil na atualidade, o meia-atacante nega que seja o responsável pela boa fase da seleção nos últimos anos. Para Kaká, o responsável pelo sucesso recente é o técnico Dunga.

“Estamos iniciando um novo ciclo que começou com o Dunga assumindo o cargo de técnico. Ele é uma pessoa muito séria, coerente, que sempre faz as coisas da maneira correta. Esta atitude nos ajuda a manter a calma. Além disso, como parou de jogar há relativamente pouco tempo, ele sabe o que jogador quer e como tratá-lo”, comentou Kaká.