Ribeirão Preto – Após a tragédia envolvendo o zagueiro Serginho, do São Caetano, que morreu de ataque cardíaco durante partida no Morumbi, em outubro, os clubes brasileiros passaram a realizar exames cardiológicos com mais freqüência. E, aos poucos, vão surgindo novos casos de problemas cardíacos. Ontem, o volante Régis, de apenas 18 anos, foi afastado preventivamente dos treinos do Botafogo de Ribeirão Preto.

Régis estava treinando normalmente com o grupo do Botafogo para a disputa do Campeonato Paulista da Série A2, a partir de janeiro, quando todo o elenco realizou exames na Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). E foi detectado que ele sofre de arritmia cardíaca.

A diretoria do Botafogo ainda não decidiu o que fazer, mas deverá submeter Régis a exames mais detalhados. "Fiquei um pouco assustado, ainda mais sabendo que a coisa que eu mais gosto de fazer é jogar futebol. O bom é repetir o exame para ver se é isso mesmo. Nunca senti nada antes e no último exame que fiz, há quatro anos, não apareceu nada", disse o jogador.

Recentemente, outros clubes brasileiros afastaram jogadores após serem detectados problemas cardíacos. Foi o caso de Bebeto Campos no Paysandu, de Senegal no Marília e de Emerson no Grêmio.