Botafogo e Flamengo fizeram um jogo que mereceu a definição de clássico, um confronto aberto, brigado, disputado com muito vigor, disposição e com bonitos lances de lado a lado. De virada, o time alvinegro conseguiu a segunda vitória seguida e assumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro, 2 a 1 sobre o rival, no Maracanã.

Com 49 pontos, os botafoguenses se reanimam na disputa do título. A tarefa ainda é muito difícil. Com 10 jogos restantes e 10 pontos atrás do líder Cruzeiro, que perdeu duas consecutivas. O próximo compromisso é uma visita a Salvador, para encarar o Vitória, na quinta-feira.

Os rubro-negros, que não perdiam há cinco jogos, param nos 37 pontos e caem para a décima posição, mas na embolada competição ainda estão em condição de almejar a Libertadores ao mesmo tempo que temem o rebaixamento. Para continuar a sonhar, será necessário superar o Bahia, no mesmo Maracanã, na quarta-feira.

A vitória foi alvinegra, mas poderia ser rubro-negra. O clássico deste domingo foi daqueles raros casos em que as duas equipes estiveram bem e tiveram inúmeras chances de gol. Os altos e baixos de lado a lado construíram um jogo cheio de alternâncias e emocionante.

Foi um duelo animado e movimentado nos primeiros 45 minutos. O Flamengo tratava melhor a bola e tinha boa troca de passes no meio de campo. Carlos Eduardo mostrava melhor preparo físico, movimentava-se bem e participaria do primeiro gol por conta disso.

Na verdade, foi um belo tento coletivo rubro-negro. Paulinho, Carlos Eduardo, Wallace e Hernane colocou para as redes, abrindo o marcador aos 13 minutos.

Em desvantagem, os botafoguenses tentaram impor pressão, mas os flamenguistas se defendiam bem e eram perigosos no contra-ataque. Felipe havia feito uma boa intervenção em chute de Rafael Marques, no início, e descansou até que Chicão falhou na marcação a Seedorf e permitiu que o holandês achasse Gegê em meio ao espaço criado na área para empatar, aos 43.

Elias perdeu um gol feito no início da segunda etapa e as oportunidades continuavam aparecendo em sucessão para ambos os lados. O Flamengo poderia ter voltado à frente em seguida, mas falhou e foi punido. Gegê cruzou e Rafael Marques, que havia chutado na trave minutos antes, tocou de leve para a virada, aos 17.

A partir daí o domínio foi amplo do Flamengo, com muitas chances perdidas. A melhor delas, um cruzamento de Amaral que Elias testou na trave e Bruninho parou em Renan no rebote.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 X 1 FLAMENGO

BOTAFOGO – Renan; Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Renato, Gegê (Dedé) e Seedorf; Rafael Marques e Alex (Henrique) (Hyuri). Técnico – Oswaldo de Oliveira.

FLAMENGO – Felipe; Leonardo Moura, Chicão, Wallace e João Paulo; Amaral, Elias, André Santos (Luiz Antônio) e Carlos Eduardo (Bruninho); Paulinho e Hernane. Técnico – Jayme de Almeida.

GOLS – Hernane, aos 13, e Gegê, aos 43 minutos do primeiro tempo. Rafael Marques, aos 17 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Grazianni Maciel Rocha (RJ).

CARTÃO AMARELO – Amaral (Flamengo); Edilson, Julio Cesar (Botafogo).

RENDA – R$ 1.346.700,00.

PÚBLICO – 23.718 pagantes (31.720 presentes).

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio (RJ).